Banner_head Governo do Estado

Banner_head Câmara

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

"Juazeiro vive caos financeiro com dívida de quase R$ 90 milhões", diz Glêdson Bezerra

O prefeito Glêdson Bezerra (PODEMOS) apresentou nesta sexta-feira (8), balanço parcial das contas públicas da Prefeitura de Juazeiro do Norte. Os números, segundo Glêdson, apontam um caos financeiro deixado por seu antecessor Arnon Bezerra, quase impossível de pagar.

São R$ 89.149.814,29 em dividas herdadas pela nova gestão. Valor esse, contabilizado até 31 de dezembro de 2020, incluindo aí o pagamento do salário dos servidores (cerca de R$ 23 milhões), e alguns dos principais fornecedores com o lixo (R$ 3,9 milhões) e Saúde (R$ 8,2 milhões), entre outros.

"Se juntarmos essa soma a valores que irão vencer ainda neste primeiro mês de gestão, esse montante ultrapassará tranquilamente a cifra dos R$ 100 milhoes", destacou Glêdson Bezerra, durante a coletiva à imprensa no Memorial Padre Cícero.

O desespero é ainda maior, conforme Glêdson, porque ao assumir o governo municipal encontrou apenas pouco mais R$ 5 milhões nas quase 300 contas da prefeitura. Até o final do mês, estão previstos para entrar nas contas, aproximadamente R$ 9,5 milhões, oriundos do governo federal, perfazendo um total de R$ 14 milhões. Esse total não cobre sequer o pagamento dos servidores, orçados para este mês de janeiro, em aproximadamente R$ 20 milhões. Ao final, comparando as receitas ativas e passivas, o município terá um défict de R$ 74.518.789,86.

Como medida emergencial, Glêdson citou alguns pontos que seus secretários e sua equipe financeira já estão trabalhando. Embora medidas consideradas impopulares, estão previstas corte dos servidores temporários e redução dos nomeados. Inicialmente, o gestor municipal pretende economizar R$ 3 milhões. Esse dinheiro viria do corte de servidores, que neste primeiro momento estão sob análise, já que foram identificado muitos "fantasmas" e outro sem função nos diversos setores da administração.

O prefeito pediu compreensão da população neste início de gestão, pois devido ao caos financeiro encontrado, alguns serviços estão ou devem ficar suspensos momentaneamente. "Falta dinheiro pra tudo, mas temos que levantar a cabeça e trabalhar, encontrar mecanismos pra tirar Juazeiro dessa situação caótica. Se falta a coleta do lixo, se falta remédio ou médico para a população, eis o motivo. Mas, vamos trabalhar e muito pra resolver tudo isso", afirmou.

Para finalizar a entrevista, Glêdson explicou que sua administração não vai perseguir ninguém, as investigações sobre pra onde foi destinado o dinheiro do município nos últimos meses ficará a cargos dos orgãoes fiscalizadores e controladores como a Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas do Estado (PCE), do Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério Público e até a Polícia Federal", finalizou.

Últimas notícias