Banner Governo do Estado

domingo, 4 de outubro de 2020

No bairro João XXIII, Luizianne reforça a necessidade de fomentar a economia local por meio do microcrédito


A candidata do PT à prefeitura de Fortaleza, Luizianne Lins, esteve na tarde deste domingo (4) no bairro João XXIII, ao lado do candidato a vereador Carlos Eduardo e apoiadores para conversar sobre a realidade e necessidades da comunidade. A atividade, que ocorreu na casa de uma moradora do bairro, faz parte da agenda de campanha junto às candidaturas proporcionais.

No local, Luizianne ouviu as demandas e falou sobre as ações prioritárias do seu programa de governo. “Quando fui convocada pela história para ser candidata à prefeita de novo, levei muito em conta o aprofundamento das desigualdades sociais que aconteceram nessa cidade nos últimos anos; e a pandemia veio para mostrar isso de forma muito clara.  Quase 75% das famílias vivem com zero a dois salários mínimos, ou seja, é um dia após o outro, uma luta para empreender”, argumentou a candidata ao explicar o fomento à economia local por meio do microcrédito.

Da varanda, Luizianne acenou para os moradores que foram até a casa onde aconteceu a atividade manifestar, da rua, o carinho e apoio à sua candidatura.  O local escolhido para o encontro é representativo na região, pois é símbolo de resistência e palco de diversas manifestações de apoio ao PT, à classe trabalhadoras e às minorias.

O ex-presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará e candidato, Carlos Eduardo, reforçou a memória da população de quando Luizianne governou Fortaleza. “Fortaleza precisa voltar a ter alegria e apoio nos bairros, fazer de novo uma cidade voltada para os trabalhadores e não para os ricos. E Luizianne sabe fazer isso muito bem, se teve uma prefeita que olhou para a periferia foi ela”, relembrou.

Luizianne aproveitou o momento para falar sobre o cuidado com as pessoas. “Vamos perseguir a universalização das creches, de zero a três anos, em todos os bairros. Isso é uma política fundamental para as mulheres que querem e que precisam trabalhar”, afirmou.

Últimas notícias