Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

sexta-feira, 19 de novembro de 2021

105 milhões viviem com apenas R$15 por dia no Brasil


 O pagamento do auxílio emergencial aos trabalhadores informais e sem renda no Brasil no ano passado evitou uma piora da desigualdade no país. Mesmo assim, 105,5 milhões de brasileiros viviam com R$ 15 por dia no Braisl no ano passado. Os dados são da PNAD Contínua 2020: Rendimento de todas as fontes, divulgada nesta 6ª feira (19.nov) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Todo mundo teve perda (na renda do trabalho), alguns mais, outros menos, mas você teve uma política social que segurou (os mais vulneráveis)", disse Alessandra Scalioni Brito, analista do IBGE.

A proporção de domicílios em que há pessoas recebendo programas sociais cresceu de 0,7%, em 2019, para 23,7% em 2020. Esse aumento é explicado pelo pagamento do Auxílio Emergencial, benefício criado no ano passado para diminuir os impactos socioeconômicos da pandemia entre os trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados. 

No Norte, 32,2% dos domicílios recebiam rendimento de outros programas sociais, principalmente Auxílio emergencial. No Nordeste, esse percentual era de 34,0%.

Segundo a analista, Alessandra Scalioni, entre 2019 e 2020 diminuiu o número de domicílios que recebiam Bolsa Família. A queda foi de 14,3% para 7,2%.  "Se um beneficiário do Bolsa Família recebia um valor menor do que Auxílio Emergencial, ele passava a receber esse auxílio.  Então houve uma migração de pessoas que recebiam Bolsa Família para a rubrica do Auxílio Emergencial", explica.

Últimas notícias