Banner Governo do Estado

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Águas da Transposição só chegam ao Ceará em 2020, afirma Guilherme Landim


A fim de explicar a atual situação das Obras da Transposição, frente às novidades recentemente divulgadas pelo Ministro da Integração Nacional de que o bombeamento terá início em 30 de agosto, o Deputado Estadual Guilherme Landim (PDT), pronunciou-se no plenário da Assembleia Legislativa. Na fala, reiterou as datas de enchimento das barragens, afirmando que as águas do Velho Chico só chegam ao Ceará em 2020 - como foi previsto no relatório da Comissão Especial de Acompanhamento das Obras da Transposição do Rio São Francisco, na qual é Presidente.

A partir da fala do Ministro, Guilherme apresentou o caminho das águas do reservatório de Negreiros, na cidade de Salgueiro, em Pernambuco, até o primeiro reservatório da água no Ceará, em Jati. Sendo iniciado em 30 de agosto o bombeamento para o primeiro dique, apenas em 20 de março de 2020 é que a água começa a ser armazenada na barragem cearense e só em 11 de abril é que alcança nível para ser liberada para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC) .

“Se nós não tivermos pronto o Cinturão das Águas, pelo menos os dois trechos emergenciais, não adianta de nada a água chegar à barragem de Jati. Queremos sensibilizar o Governo Federal de que a disponibilização dos recursos é urgente. Faltam apenas 9% para finalizá-los, se esse dinheiro não chegar agora, com inverno do ano que vem há grandes riscos para a qualidade da obra”, defendeu Landim.

Como explicou o parlamentar, é o CAC que possibilita que a água do São Francisco chegue ao Açude Castanhão e assim possa abastecer a região Centro-Sul, a região Jaguaribana, Fortaleza e sua Região Metropolitana, por isso a importância de se garantir logo os recursos e datas para a liberação dessas verbas.

Preocupações

Outra preocupação trazida por Landim foi em relação à sinalização de privatização do Governo Federal para a geração de energia do projeto e da distribuição da água. “Não podemos estar fora dessa discussão, essa é uma obra social. Quando chega uma obra como essa, para pagar uma dívida eterna que o Brasil tem com o Nordeste, nós não podemos deixar na mão de uma empresa privada para ganhar dinheiro com água”, destacou.

Complementando, Guilherme anunciou que na segunda-feira (12), estará em Recife, com representantes das Assembleias de Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte para a primeira reunião da Frente Parlamentar Interestadual em Defesa das Obras da Transposição - que foi articulada pelo cearense. Na ocasião serão discutidas essa possível privatização, as vilas produtivas rurais, danos causados pela obra e outras questões.

“Juntas, as Assembleia dos quatro Estados vão ficar mais fortalecidas para buscar respostas. Estamos pedindo ajuda e nos dispondo a estar junto do Governo Federal para ver isso acontecer. O que nós queremos é ter a água chegando nas torneiras dos sertanejos que há tanto esperam por isso”.


Últimas notícias