Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

sábado, 9 de outubro de 2021

Curso de Medicina da Urca inova ao integrar ensino e serviço de saúde para fortalecer a Atenção Primária no Cariri

 
Uma missão para cuidar das pessoas. É assim que a estudante Beatriz Alves, de 17 anos, define o sonho de ser médica. Beatriz cursa a 3ª série do Ensino Médio na Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Moreira de Sousa, em Juazeiro do Norte, região Sul do Ceará. Ela está na lista com mais 5.016 candidatos inscritos para o primeiro vestibular do Curso de Medicina da Universidade Regional do Cariri (Urca), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece). “É meu sonho entrar em Medicina, sempre, desde de criança. Estou muito feliz pela Urca, lá no Crato, está proporcionando esse curso de Medicina. Estou muito ansiosa porque é meu primeiro vestibular”, afirma a estudante.

O MedUrca se diferencia dos outros dois cursos já ofertados na região do Cariri por ser integrado ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Urca e focar na Atenção Primária à Saúde, principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). O campus do curso funcionará no prédio que abrigou a Casa de Caridade do Crato, próximo à reitoria da Universidade.

Ao lado do campus funcionará o Hospital Universitário, onde era sediado o Hospital São Camilo (antigo São Francisco). A unidade vai aperfeiçoar a formação dos novos profissionais que se dedicarão à Saúde Pública e Atenção Básica. Aliado a isso, o curso também contará com um Centro Integrado de Atenção à Saúde da Família.

As vagas para o MedUrca foram lançadas no edital do Processo Seletivo Unificado 2021.2 da Urca, que abriu um total de 1.280 vagas para 20 cursos, sendo 30 destinadas para Medicina. As provas serão aplicadas nos dias 16 e 17 de outubro, de forma presencial, em sete municípios: Barbalha, Campos Sales, Crato, Iguatu, Juazeiro do Norte, Mauriti e Missão Velha. Ao todo, a Urca soma 31 cursos de graduação, alcançando uma totalidade de aproximadamente 12 mil estudantes.

Beatriz reconhece que a concorrência para ingressar no curso é alta, por isso manteve a rotina de estudos para o vestibular, sem desanimar diante dos desafios impostos pela pandemia da Covid-19. “Eu tive que aumentar horas para poder me preparar mais, e conseguir, realmente, lidar com todas as matérias, captar tudo, e conseguir terminar a tempo”, relata.


Últimas notícias