Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Vereador Inspetor Alberto que incluir disciplina de Introdução à Economia e Mercado Financeiro na grade curricular da Rede de Ensino Pública de Fortaleza


 O Vereador Inspetor Alberto apresentou na Câmara Municipal de Fortaleza o Projeto de Indicação 1071/2021 que Inclui na Grade Curricular da Rede Pública Municipal de Ensino a Disciplina de Introdução a Economia e Mercado Financeiro. Segundo o Parlamentar:  A habilitação de jovens quanto a questões básicas de investimento pode, a longo prazo, criar riquezas até mesmo para a cidade de Fortaleza. Afinal, o empreendedorismo presente no capitalismo é a única forma saudável de criação de riquezas para o indivíduo e para uma nação. Uma consciência nacional quanto a isso potencializa o crescimento de cidades, Estados e países.

O crescimento de investimento no mercado financeiro de um país está diretamente correlacionado ao crescimento das empresas, geração de emprego, renda, aumento da arrecadação tributária e fortificação da moeda. Saliente-se: todos os países desenvolvidos do mundo possuem um mercado financeiro sólido, por exemplo, cite-se tão somente que no Brasil os valores das empresas listadas na Bovespa (dentre elas: Petrobrás, Vale, Ambev, Itaú, Santander, Magalu, e outras) (U$ 629 B) não chegam ao valor de uma única empresa americana, qual seja, a Berkshire Hathaway do Bilionário Warren Buffet (U$ 633 B); enquanto no Brasil 1,36% da população investe no mercado financeiro, nos EUA cerca de 55% da população aplica o seu dinheiro nas bolsas de valores americana. Há, portanto, um espaço gigantesco para o crescimento desse mercado no Brasil, que é potencializado quando comparado internamente.

Atualmente, a Bolsa brasileira tem 3.561.295 investidores pessoas físicas. O Ceará representa apenas 1,95% do total de investidores e é o 12o estado com mais inscritos (o 3º do Nordeste, atrás da Bahia e de Pernambuco). A título de exemplo, cite-se que São Paulo tem 1,368 milhão de pessoas (38,42% do total). Nada obstante o pequeno número de investidores Cearenses, empresas do Ceará têm se destacado no mercado nacional e internacional.

"Nos últimos anos vimos o IPO na Bovespa de empresas legitimamente cearenses como o M. Dias Branco, a Pague Menos, o Hapivida, a Aeris Energi e até mesmo o IPO da Arco Educação na Nadasq de Nova York. Além disso, outro ramo do mercado financeiro os Fundos Imobiliários possuem grande potencial para investimentos no Ceará, evidencia-se que há FIIs que já investem em grandes Shoppings da Região Metropolitana de Fortaleza. Obviamente, jovens fortalezenses hoje minimamente capacitados, terão potencial para no futuro se tornarem pequenos, médios e grandes investidores, surgindo um potencial para esses investidores aplicarem seus recursos em empresas locais, potencializando o crescimento econômico local, a geração de empregos e renda para os cidadãos do Ceará.”

Últimas notícias