Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Cid resiste, mas pressões para disputar o Governo do Estado vão crescer ainda mais


O senador Cid Gomes passa a conviver com mais pressões e apelos para aceitar concorrer ao Governo do Estado em 2022. Com mais quatro anos de mandato, Cid gostaria de ficar no Senado até o final de 2023, trabalhar com intensidade no cenário nacional para ajudar o irmão Ciro na corrida ao Palácio do Planalto, mas as circunstâncias políticas e eleitorais no Ceará poderão levá-lo a disputar, pela terceira vez, o Palácio da Abolição.

A possibilidade de candidatura não nasce apenas no desejo de correligionários e surge, principalmente, no pragmatismo eleitoral registrado nas pesquisas qualitativas e quantitativas que estão à mesa dos dirigentes estaduais do PDT e do Governador Camilo Santana. Camilo, pelas pesquisas, tem altos índices de aprovação administrativa e capitaliza um grande poder de transferência de votos.

Cid, nas mesmas pesquisas, aparece como detentor de uma imagem associada a credibilidade, de quem faz política por vocação e inspira a confiança entre os cearenses. É, portanto, o nome do PDT mais credenciado para concorrer à sucessão de Camilo Santana. A corrida ao Governo do Estado tem muitos outros capítulos e a definição de alianças passa, também, pelo quadro nacional e pela performance do Governo do presidente Bolsonaro.

Mesmo, com todas as credenciais políticas e eleitorais, Cid resiste, se esquiva de entrar na lista de pré-candidatos a governador e nomina o ex-prefeito Roberto Cláudio, a vice-governadora Izolda Cela, o deputado federal Mauro Filho e o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, como opções ao Governo do Estado e alternativas de renovação no PDT. Ele chegou a citar Roberto Cláudio como o mais experiente para governar o Ceará, mas fez, ao mesmo tempo, a ressalva de que essa qualidade não é suficiente para ascensão de uma candidatura ao Palácio da Abolição.

Os dirigentes do PDT não têm pressa na antecipação de definições para 2022 e a cautela prevalece na análise dos fatos e movimentos políticos que acontecem nesse momento. Uma nova pesquisa, após a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Ceará, entra em campo nesses próximos dias para mais um termômetro de avaliação sobre a sucessão do governador Camilo Santana. (Ceara Agora)

Últimas notícias