Banner Prefeitura de Fortaleza

Banner Camara de Fortaleza

Banner BNB

sábado, 30 de novembro de 2019

Comenda que reconhece contribuição de grandes personalidades ao Estado é entregue


Em 25 de março de 1884, o Ceará ganhava a simbologia de Terra da Luz. Quatro anos antes da Lei Áurea, a então província do Ceará decretava a abolição da escravatura no Ceará, fazendo da luz para a liberdade um sinônimo para as terras alencarinas. A atitude dos cearenses é a inspiração para atitudes de grandes homens e mulheres que até hoje se destacam no cenário nacional e cuja trajetória está presente na história do Ceará, em espacial os homenageados na versão 2018-2019 da Medalha da Abolição.

Nesta sexta-feira (29), o governador Camilo Santana homenageou personalidades importantes que ajudaram a construir a história do Ceará. “Aqui no Ceará, um estado encravado no semiárido nordestino, com enormes e históricos desafios, temos tido, ao longo dos últimos anos, uma demonstração inequívoca do quanto é possível, com respeito, persistência e muito diálogo, enfrentar as adversidades e avançar nas soluções. Os sete homenageados desta noite são exemplo vivo de tudo isso”, destacou.

A principal honraria do Estado foi concedida à presidente da Academia Cearense de Letras, Ângela Maria Rossas Mota de Gutiérrez, primeira mulher a presidir a entidade literária; empresário Edson Carvalho Ventura; desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Maria Iracema Martins do Vale, conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); ex-senador Carlos Mauro Cabral Benevides; Regina Marta Albuquerque Barbosa, fundadora da Casa de Vovó Dedé, instituição sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social; e padre Reginaldo Manzotti, fundador da associação Evangelizar é Preciso, movimento de evangelização.

“Justiça e inclusão são palavras que fazem parte da vida de cada um dos nossos homenageados esta noite. Cada um deles, na sua área, deram, e continuam dando, enorme contribuição ao Ceará e, por isso, são merecedores da maior honraria do nosso Estado’, completou o governador. A Medalha da Abolição, instituída em 1963, reconhece o trabalho relevante de brasileiros para o Estado do Ceará ou para o Brasil. A escolha é feita por uma comissão, instituída em um decreto governamental. Já sã0 170 agraciados desde então.

(Governo do Ceará)

Últimas notícias