sábado, 21 de julho de 2018

PMN rejeita candidatura de ex-apresentadora da Globo e convenção termina em briga


O Partido da Mobilização Nacional (PMN) rejeitou em convenção nacional neste sábado (21) o nome da jornalista e ex-apresentadora TV Globo Valéria Monteiro como candidata à Presidência da República. A executiva do partido já havia vetado o nome de Valéria, mas a ex-apresentadora do Jornal Nacional recorreu da decisão na Justiça e conseguiu assegurar a manutenção da pré-candidatura até a convenção.
Antes da votação que rejeitou o seu nome, Valéria Monteiro pediu para falar e o presidente da legenda, Antonio Carlos Massarollo, negou, alegando que ela não era convencionada. Valéria reagiu e Massarollo pediu à segurança para retirá-la do evento. "Vai definir tudo na canetada, presidente?", questionou a jornalista.
Ela afirmou que deve entrar com uma ação para anular a convenção, que, segundo ela, "foi a demonstração de como o processo eleitoral brasileiro é fraudulento". Durante a convenção, além de não ter candidatura própria, o partido decidiu ainda não apoiar a candidatura de outro partido no primeiro turno.
A confusão envolvendo Valéria Monteiro não foi a única na convenção do PMN. Também impedido de se colocar como candidato ao Senado pela Bahia, Marivaldo Neves foi expulso por seguranças do auditório, após fazer críticas ao presidente do partido. De acordo com o presidente da legenda, a pré-candidatura de Neves não foi aceita porque ele não tem “vida partidária".
(Agência Estado)