segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Articulações pela presidência da Câmara entram na última semana

No próximo dia 3, a Câmara Municipal de Fortaleza conhecerá quem deve comandá-la pelos próximos dois anos. E, mesmo a uma semana para a votação, vereadores ainda não sabem quem deve de fato concorrer à sucessão do atual presidente da Casa, Salmito Filho (PDT). Há, entretanto, afunilamento entre os favoritos.
Entre parlamentares, há consenso de que o futuro presidente virá do PDT. Dona da maior bancada da Casa, com 11 parlamentares, a sigla já colocou pelo menos seis nomes à disposição: os atuais primeiro e segundo vice-presidentes, Adail Jr. E Didi Mangueira, o líder do partido, Iraguassú Filho, o vice-líder do governo, Renan Colares, e os ex-secretários da Regional III e de Direitos Humanos, Antonio Henrique e Elpídio Nogueira. Os dois últimos são mais citados como favoritos pelos pares.
De acordo com um vereador do PDT, porém, a campanha ainda corre na base do cafezinho. "Tem muita conversa nos bastidores", diz. Os ex-secretários são apontados como os que mais vêm se dedicando à disputa. "Tem outros querendo, mas não os vejo com chances", opina.
A escolha do candidato a presidente é fundamental para a composição da Mesa Diretora. Somente depois de definido quem será o presidente é que será negociado o restante da chapa. O objetivo é construir uma chapa de consenso. "Agora, o PDT precisa decidir o nome", afirma um vereador. Os outros cargos da Mesa Diretora da Câmara terão que ser negociados nesta semana. Parlamentares aguardam uma reunião com o prefeito Roberto Cláudio (PDT).
No último dia 21, o chefe do Executivo declarou, em entrevista, que atuaria para "construir o consenso". "Temos até o dia 3, então, vamos exaurir o diálogo", respondeu. Presidente municipal do PDT, ele disse que a intenção é construir "uma Mesa plural", que também envolva a oposição.

Terceiro nome
Adail Jr. Também é citado por pelo menos dois membros do PDT. "Se dependesse só de mim, o nome seria esse", destaca John Monteiro (PDT). "Mas tenho que ver se esse é o nome do prefeito e do Salmito", completa. Ele diz que há muito pouca informação na campanha. "Nesses seis anos em que estou na Casa, é a primeira vez que vejo uma candidatura para presidente sem ninguém saber de nada".
Um outro pedetista aponta que o nome de Adail teria a vantagem de manter a independência da Casa, uma vez que outros cotados são ligados a outras lideranças política. Antonio Henrique é ligado ao deputado estadual Dr. Sarto (PDT), que é irmão de Elpídio. Já Renan Colares (PDT) é filho do também deputado Fernando Hugo (PP).
Antonio Henrique ressalta que "todos os 43 vereadores votaram em alguém para deputado". Segundo ele, compor a corrente do deputado ou de outra liderança "não quer dizer que ele vai mandar na Casa". Já Elpídio e Colares não atenderam às ligações da reportagem até o fechamento desta matéria.

(DN)