Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Vacinação Solidária conscientiza para doações de alimentos a famílias de baixa renda


Parceria do Governo do Ceará, Sistema Fecomércio, Aprece e APDMCE, lançada nesta terça-feira (11), prevê que as pessoas a serem vacinadas possam levar alimentos da cesta básica para doar a entidades de todo o Estado. Objetivo é ampliar a ajuda a famílias em situação de vulnerabilidade que têm sofrido com a pandemia de Covid-19 através da experiência de ações como o Mais Nutrição e o Mesa Brasil

Muitas mãos em prol do apoio ao próximo. Agora, quem for vacinado contra a Covid-19 no Ceará pode celebrar a imunização de forma solidária. Levando alimentos não-perecíveis, que serão encaminhados às famílias em situação de vulnerabilidade do estado na campanha Vacinação Solidária. O lançamento ocorreu na tarde desta terça-feira (11), através das redes sociais do Governo do Ceará, em solenidade com a participação do governador Camilo Santana, da primeira-dama Onélia Santana, e do presidente do Sistema Fecomércio, Maurício Filizola, entre outras autoridades.

A ação é uma parceria do Governo do Ceará, via Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) e Programa Mais Nutrição, com a Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Sistema Fecomércio e Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE). A Campanha Vacinação Solidária incentiva as pessoas que forem se vacinar contra a Covid-19 a levar 1kg de alimento não-perecível da cesta básica (arroz, feijão, macarrão, leite em pó, dentre outros) para que seja doado a entidades carentes, e assim, ajudar as famílias em situação de vulnerabilidade de todo o Ceará. A doação não é obrigatória, ajudando apenas quem puder ou quiser colaborar.

A primeira-dama do Estado, Onélia Santana, que está à frente da campanha, ressalta a importância da solidariedade neste momento. "Esse é um chamamento de amor, é um chamamento de fraternidade. É pra se unir a essa campanha. E sempre pensando no mais vulnerável". E ainda completa: "É uma campanha que une vários setores em prol do bem comum, de servir as pessoas que estão em vulnerabilidade social. Então, eu convido a todos vocês que ao se vacinar, não é obrigatório, mas ao se vacinar, que queira ajudar a quem precisa, leve um quilo de alimento".

Últimas notícias