Banner Governo do Estado

Banner Câmara de Fortaleza

RADIO

terça-feira, 23 de junho de 2020

#ExposedFortal: estudantes são denunciados por divulgarem nudes de adolescentes em grupo de WhatsApp

Estudantes de Fortaleza foram acusados de compartilharem fotos íntimas de meninas em um grupo de WhatsApp. O caso tem ganhado repercussão no Twitter, onde as vítimas e colegas das garotas publicaram as denúncias. Na manhã desta terça-feira (23), a hashtag #exposedfortal chegou aos Assuntos do Momento na rede social. A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) investiga o caso.

Conforme as denúncias, o grupo, composto por garotos e homens jovens, alimentava o grupo com ‘nudes’ de meninas, em sua maioria, menores de idade.

Os suspeitos utilizavam o espaço para tecerem comentários sobre as vítimas, dando notas para as fotos íntimas, e chegavam a ameaçar algumas delas.

Em uma das publicações da hashtag, que relata importunações sexuais, após receberem as imagens no grupo, alguns integrantes iniciavam um contato com as vítimas. “Alguns xingavam e chamavam no privado as meninas que tiveram suas fotos íntimas compartilhadas para zoar”, afirma uma das publicações.

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, informou nesta manhã (23), por meio de uma postagem no Twitter que o caso está sendo investigado e todas as denúncias estão sendo avaliadas. “A Polícia Civil já está apurando denúncias relatadas no #exposedfortal, determinei prioridade para o caso. Solicito que as vítimas registrem o BO para facilitar a identificação dos envolvidos”.

Crime e Investigação

Compartilhar fotos íntimas, as chamadas ‘nudes’, é crime. O ato pode ser considerado como injúria e difamação, previstos no Código Penal. A Secretaria da Segurança informou que  a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca)  apura as denúncias do caso, que  envolveriam crianças e adolescentes.

Conforme a Pasta, Conforme a Pasta, “as diligências coordenadas pela delegacia especializada ocorrem no intuito de se chegar aos nomes das pessoas envolvidas, bem como identificar as circunstâncias dos casos”.

A SSPDS orientou ainda o registro de Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre os casos, por meio da Delegacia Eletrônica (Deletron) que atende todo o território do Estado do Ceará. A Secretaria informou também que a  população pode ajudar nas investigações da Polícia ao repassar informações sobre o homicídio

De acordo com a Instituição, as denúncias podem ser feitas por meio do por meio do número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou ainda para o número (85) 3101-2044, da Dceca. Conforme a Instituição, o sigilo e o anonimato são garantidos.

(Diário do Nordeste)

Últimas notícias