Banner Governo do Estado

Banner Prefeitura de Fortaleza

Banner Câmara de Fortaleza

RADIO

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Governo do Ceará abre mais 73 leitos para o tratamento de pessoas com a Covid-19


A rede pública estadual de saúde segue recebendo novos leitos para o atendimento de pessoas infectadas com o novo coronavírus. Serão mais 73 leitos, entre Enfermaria e Unidades de Terapia Intensiva (UTI), abertos em hospitais administrados pelo Governo do Ceará em Fortaleza. O reforço foi anunciado nesta segunda-feira (11) pelo governador Camilo Santana, quando destacou a importância do isolamento social em permitir que o sistema público de saúde se prepare para atender a quem precisa.

"Ontem (10), nós abrimos mais 25 leitos no Hospital São José, aqui em Fortaleza. Hoje, estamos abrindo mais 11 leitos de UTI no Hospital Leonardo da Vinci, chegando a 120 leitos só de UTI, dos 230 do hospital. E amanhã teremos mais 37 novos leitos no Hospital de Campanha de Messejana. Todos os dias o Estado tem aberto novos leitos, tanto de UTI como de enfermaria", explicou Camilo. O Governo do Ceará aguarda essa semana a chegada de 200 respiradores adquiridos no Exterior para ampliar ainda mais a rede pública.

Começa a surtir efeito

Desde sexta-feira (8) que está valendo em Fortaleza regras de isolamento social mais rígidas. O governador informou que a medida vem obtendo bons resultados e que tem ajudado a aumentar o percentual de cearenses dentro de casa. "Tenho acompanhado os números e as ações. Tem um site nacional que informa o nível de isolamento por estado. Nos últimos três dias o Ceará tem sido o primeiro lugar. Chegamos a mais de 54% de isolamento. Temos que alcançar em Fortaleza 70% de isolamento. Os dados da Prefeitura mostram que estamos, em média, entre 60% e 70%", detalhou.

O gestor destacou que esse isolamento mais rígido na Capital também é para proteger as cidades do Interior, evitando que a transmissão ocorra com uma velocidade forte. Camilo aproveitou para reforçar junto aos gestores municipais a intensificação das ações preventivas. "Peço aos prefeitos que conversem com a população, que façam ações importantes na atenção básica, que busquem identificar as pessoas com sintoma, pois quanto mais cedo esse paciente começa a ser tratado, mais rápido ele se cura e evita ir para uma UTI", comentou.

Últimas notícias