Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

quinta-feira, 4 de março de 2021

Queiroz Filho critica vetos presidenciais que limitam a aquisição de vacinas por estados e municípios


O deputado Queiroz Filho (PDT) criticou nesta quarta-feira (3) os vetos do presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido), que limitam a autonomia de estados de municípios para a aquisição de vacinas contra a Covid-19.

"É de lamentar, mais uma vez, essa política negacionista do Governo Federal. Na contramão, vemos governadores e prefeitos de muitos municípios do país inteiro em busca ativa pela aquisição de vacinas, a exemplo do governador do Ceará, Camilo Santana, e o prefeito de Fortaleza, José Sarto. O Brasil conta com bons profissionais da saúde, gestores empenhados, um corpo técnico competente para imunizar a população, mas o maior empecilho são os obstáculos colocados para a obtenção e esses vetos são exemplo disso", disse Queiroz Filho.

A crítica se refere a sanção pelo chefe do Executivo Nacional da lei que autoriza o Poder Executivo federal a aderir ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19, o Covax Facility, e estabelece diretrizes para a imunização da população. Porém, Bolsonaro vetou o ponto que permitia os governos estaduais e municipais a adotarem medidas necessárias para imunização da população em caso de omissão do Ministério da Saúde.

Outro veto foi o artigo que obrigava a Anvisa a aprovar, em até cinco dias, o uso emergencial de vacina que tivesse aval de pelo menos uma das nove autoridades sanitárias estrangeiras reconhecidas pelo Governo Federal.

Na ocasião, o deputado Queiroz Filho lamentou o ritmo lento de vacinação contra a Covid-19 no país. "No Brasil, com uma população de cerca de 220 milhões de habitantes, chegamos a cerca de oito milhões de vacinados. Nos Estados Unidos, com uma população de cerca de 320 milhões, a campanha de vacinação tem conseguido imunizar cerca de dois milhões de pessoas por dia. Na lógica, com o Sistema Único de Saúde (SUS) que temos, éramos para ter a capacidade de vacinar muito mais". 

Últimas notícias