Banner_head Governo do Estado

Banner_head Fortaleza

domingo, 8 de novembro de 2020

"Não quero dividir, quero unificar', diz Joe Biden no 1º discurso para apoiadores nos EUA


No primeiro discurso após ser declarado vencedor das eleições presidenciais nos Estados Unidos, Joe Biden refoçou, na noite deste sábado (7) que pretende unificar o País e conquistar a confiança de toda a nação . O democrata obteve a maioria dos votos dos delegados eleitorais em disputa com o republicano Donald Trump à presidência.

"Prometo ser um presidente que não busca dividir, mas unificar. Alguém que não vê os estados vermelho e azul, mas sim Estados Unidos. E que trabalhará de todo o coração para conquistar a confiança de todo o povo", afirmou

Biden se referiu aos eleitores de seu opositor Donald Trump pedindo união. "Para todos aqueles de vocês que votaram no presidente Trump, entendo sua decepção esta noite. Já perdi algumas vezes, mas agora vamos dar uma chance um ao outro", disse Biden no tom unificador que marcou sua campanha.

O democrata foi recebido com um buzinaço. Ao iniciar a fala, ele agradeceu pela votação: 74 milhões de votos, um recorde na história dos EUA.

Disputa acirrada

A noite da eleição, na terça (3), começou com a expectativa de que Biden superaria Trump com ampla vantagem, mas o republicano ganhou a decisiva Flórida e iniciou uma ilusão vermelha inicial, com uma série de triunfos e lideranças em estados-chave, o que manteve as chances de reeleição.

Ao vencer no Texas, em Iowa e em Ohio durante a madrugada de quarta (4), Trump fez muitos apoiadores de Biden temerem uma repetição de 2016, quando o presidente derrotou Hillary Clinton ao vencer na maior parte das regiões decisivas, contrariando as pesquisas.

Os levantamentos, aliás, novamente subestimaram o voto no republicano, que teve mais apoio do que o esperado entre latinos no Sul e no geral no Meio-Oeste –região crucial para sua vitória há quatro anos.

Já a liderança inicial em estados que depois seriam conquistados por Biden pode ser explicada pelo fato de que muitas regiões contabilizam o voto presencial – que favoreceu o republicano– antes dos votos antecipados, que incluem as cédulas enviadas pelo correio, em sua maioria de eleitores democratas.

(DN)

Últimas notícias