Banner_head

domingo, 8 de novembro de 2020

Debate marca momento histórico nas eleições de São Benedito



Um debate envolvendo candidaturas à prefeitura de São Benedito, na região da Serra da Ibiapaba, marcou, neste sábado (7), um momento histórico no município. Pela primeira vez, a cidade acompanhou um debate em que todas as candidaturas puderam tratar das suas propostas para os próximos quatro anos. O encontro reuniu, na rádio Ibiapaba FM 101,5, os candidatos a prefeito Saul Maciel (PDT), Michel do Amaral (PSD) e Henrique Santana (PSC), bem como Arnaildo Furtado (PMB), candidato a vice-prefeito, que representou o candidato Totonho Lima (PMB).

Embora conte com quatro candidaturas, a disputa no município está polarizada entre Saul Maciel, atual vice-prefeito, que conta com o apoio do prefeito Gadyel Gonçalves (PCdoB), da deputada estadual Augusta Brito (PCdoB) e reúne uma aliança com seis partidos, incluindo o PT, com apoio do governador Camilo Santana (PT), e Michel do Amaral, que representa o grupo político do ex-prefeito Júnior Brandão (PSD).

Os blocos contaram com perguntas feitas por repórteres, pela população e também incluíram perguntas feitas entre os próprios candidatos. Transmitido pela rádio e também pela página da emissora no Facebook, o programa teve grande audiência e foi acompanhado de forma entusiasmada pelos sambeneditenses.

Saúde motivou polêmicas

Como ocorre em debates eleitorais, o de São Benedito teve polêmicas. Uma delas se referiu ao fechamento de uma clínica médica pertencente a Michel do Amaral, que é médico, em agosto passado. Localizada no bairro Serra Ville, a clínica foi interditada pela Vigilância Sanitária, após acusação de expor seus pacientes a riscos ao manter medicamentos vencidos em seus estoques. Na ocasião, os responsáveis técnicos pela clínica, incluindo o atual candidato pelo PSD, não se manifestaram. O tema foi abordado por Saul Maciel, deixando Michel do Amaral em situação desconfortável.

Em outro momento tenso, o candidato Henrique Santana questionou Michel sobre acusação feita pelo prefeito Gadyel Gonçalves em live na quinta-feira passada (05/11) de que o candidato do PSD, quando diretor clínico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, se ausentava do equipamento para dar expediente em sua clínica particular. Michel rebateu a acusação e, em contrapartida, fez referência a supostos servidores do município que receberiam salários sem trabalhar – mas sem apresentar provas desta acusação.

Na maior parte do programa, o candidato Saul Maciel foi o alvo das críticas dos demais, que questionaram ações da gestão Gadyel Gonçalves. O candidato do PDT, no entanto, defendeu os projetos da gestão e apresentou compromissos para os próximos quatro anos, como a extensão da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) para o município.

Últimas notícias