Banner Governo do Estado

RADIO

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Janeiro Roxo: SBD Ceará alerta para os cuidados de prevenção contra a hanseníase


Durante todo o mês de janeiro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza a campanha nacional de combate e prevenção da hanseníase. Conhecida como Janeiro Roxo, a iniciativa busca melhorar o controle da doença por meio da disseminação de informações especializadas e conscientização da população sobre sua gravidade, bem como a necessidade de diagnóstico e tratamento precoces, contribuindo para a redução do preconceito acerca da doença.

Considerada a enfermidade mais antiga da humanidade, a hanseníase tem cura, mas ainda hoje representa um problema de saúde pública no Brasil. Doença tropical negligenciada, infectocontagiosa de evolução crônica, se manifesta principalmente por meio de lesões na pele e sintomas neurológicos como dormências e diminuição de força nas mãos e nos pés. É transmitida por um bacilo por meio do contato próximo e prolongado entre as pessoas. Quando descoberta e tratada tardiamente, a hanseníase pode trazer deformidades e incapacidades físicas.

No Ceará, o presidente da SBD-CE Dr. Edmar Fernandes alerta para a importância de divulgar informações sobre o problema e conscientizar a população. “A hanseníase tem cura, mas é preciso diagnosticá-la e tratá-la no tempo correto para evitar sequelas permanentes. O acesso à informação e conscientização sobre a doença são fundamentais para a diminuição de casos e do preconceito, bem como para o sucesso dos tratamentos”, explica.

O Brasil é o segundo país quanto ao número de ocorrência da doença. Em 2017, segundo a OMS, 26.875 casos novos de hanseníase foram registrados no Brasil, que oferece, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), tratamento gratuito contra o problema. Os pacientes podem se tratar em casa, com supervisão periódica nas unidades básicas de saúde.

Sintomas

Dentre os sintomas da doença estão: lesões na pele, como manchas claras, róseas ou avermelhadas; surgimento de caroços; diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou tato; dormências, perda de força e inchaços nas mãos e pés; formigamentos ou sensação de choque nos braços e pernas; entupimento nasal e problemas nos olhos.

Últimas notícias