Banner_head Governo do Estado

Banner_head camara fortaleza

terça-feira, 15 de março de 2022

Reconhecimento de paternidade caiu quase 30% durante a pandemia


 Uma pesquisa aponta uma queda de 29,9% nos reconhecimentos de paternidade no Brasil em relação aos dois anos anteriores. O estudo foi realizado pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais, junto aos cartórios do país.

De acordo com o levantamento, nos dois primeiros anos da pandemia no país, 6% dos recém-nascidos no país foram registrados somente com o nome da mãe - foram mais de 327 mil bebês sem o reconhecimento paterno documentado. Para a diretora da Associação de Registradores, Andreia Gagliardi, além dos conflitos familiares, o isolamento social pode te dificuldade o registro de paternidade. 

Gagliardi destaca ainda que o reconhecimento paterno é um direito da criança, que o procedimento é gratuito e pode ser feito em qualquer cartório. Para isso, basta apenas a presença do pai, devidamente identificado, e o consentimento da mãe. Caso o pai se negue a reconhecer o filho, o cartório também pode encaminhar o processo. "Ela diz: 'o pai do meu filho é aquele senhor tal', e traz o endereço. Então, o cartório vai autuar essa indicação do pai e vai remeter para o juiz da vara competente de cada cidade, e esse juiz vai chamar o pai para uma audiência".

Últimas notícias