Banner Governo do Estado

RADIO

segunda-feira, 16 de março de 2020

Fim de semana de reviravolta na política de Missão Velha


O último final de semana foi de muitas definições em Missão Velha, com direito a tentativa de demonstração de força do prefeito e uma grande novidade apresentada pelo vice-prefeito e pré-candidato à prefeitura.

A movimentação começou ainda na sexta-feira (13), quando o ex-prefeito Tardiny Pinheiro anunciou, em uma entrevista de rádio, o fechamento de um acordo entre o PT e o prefeito Diego Feitosa, para que o partido apoiasse a pré-candidatura de Washington Fechine, lançado pelo atual prefeito para continuar sua administração, já que o prefeito, mesmo estando no primeiro mandato, não encontrou condições para submeter seu nome mais uma vez ao critério do eleitorado missãovelhense.

Após a entrevista, que causou desconforto e muitas críticas por parte dos militantes petistas na cidade, já que o candidato a prefeito virá do MDB, partido marcado por comandar o impeachment da presidente Dilma, criou-se a expectativa sobre a formação da chapa majoritária, por se entender que a lógica seria de que o PT indicasse o vice na chapa governista.
"Quem seria o vice da chapa dos golpistas?", perguntou uma militante petista na live transmitida durante a entrevista.

A revelação deveria ocorrer no sábado, quando os dois partidos programaram um evento de filiação de seus pré-candidatos na Câmara de Vereadores de Missão Velha.
O evento foi realizado na tarde do sábado, sem muita festa e com um público limitado, com a presença do ex-senador Eunício Oliveira, principal padrinho político do esquema comandado por Diego Feitosa, mas não se ouviu falar em nenhum momento sobre se o PT realmente indicaria o vice do candidato de Diego e muito menos quem seria o escolhido.

O mistério foi desvendado logo após o evento governista, no início da noite do sábado, quando os apoiadores do atual vice-prefeito e pré-candidato da oposição, Dr. Lorim, começaram a divulgar fotos de uma reunião onde estiveram presentes, além de Dr. Lorim, o ex-prefeito Gidalberto Pinheiro, seu principal apoiador, e o deputado André Figueiredo, que foi à casa de Lorim para levar pessoalmente a ficha de filiação do PDT, partido pelo qual o médico disputará a prefeitura.

A surpresa ficou por conta da presença na reunião do vereador Eduardo Honorato, principal nome do PT em Missão Velha, que vem fazendo um mandato de muito destaque na cidade e que, por conta de seu trabalho, vinha sendo cotado inclusive como possível candidato a prefeito, pontuando muito bem nas pesquisas internas já realizadas até o momento.

Apresentando sua ficha de filiação ao PDT, juntamente com Dr. Gidalberto, Eduardo pôs fim ao silêncio que vinha mantendo havia alguns dias, quando se desenrolava a negociação entre Tardiny e Diego, e divulgou o apoio ao projeto do Dr. Lorim, justificando tal ato por uma questão de coerência, permanecendo no campo das esquerdas e longe daqueles que traíram o PT, e tomando partido, literalmente, na disputa municipal deste ano, ao lado da oposição ao governo de Diego Feitosa.

Os próximos dias ainda guardam algumas possíveis surpresas, já que nos bastidores comenta-se que a decisão de Eduardo deverá atrair outros importantes apoios ao projeto de Dr. Lorim, ao mesmo tempo em que deverá ser decidida a ocupação da chapa de vice na chapa coordenada por Diego, que pode até contar com uma filiação de última hora ao PT, para que o partido mantenha o status de indicar o vice, mas com uma figura que nunca teve relação nenhuma com o partido.

Até o próximo dia 4 de abril, quando se encerra o prazo para as filiações dos pré-candidatos que pretendem concorrer nas eleições deste ano, deveremos ter novas notícias, inclusive com possibilidades de novos capítulos surpreendentes.

(Em Pauta Cariri)

Últimas notícias