Banner Dengue CE

Banner Camara Fortal

Banner Prefeitura de Fortaleza

sábado, 8 de fevereiro de 2020

Servidores querem processar Guedes por “assédio institucional”


O ministro da Economia, Paulo Guedes, é alvo de críticas de diversas entidades representativas de categorias do serviço público por compará-los  a "parasitas". A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal (Fenajufe) disse em nota que vai avaliar "medidas jurídicas por assédio institucional".

Nessa sexta-feira (7), ao comentar a reformas administrativa proposta pelo governo federal, o economista criticou o reajuste anual dos servidores e afirmou que eles já têm privilégios, como  estabilidade no emprego e "aposentadoria generosa".

"O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático", declarou durante palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EPGE), no Rio de Janeiro.

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate), uma das principais entidades representativas do serviço público também criticou a declaração do ministro.

"Em sua declaração, o ministro da Economia desrespeita de forma gratuita e desmedida os 12 milhões de servidores públicos brasileiros, que buscam dia após dia prestar serviços de qualidade à população. Demonstra, ademais, preconceito e desprezo ao funcionalismo, em todos os níveis da federação, deixando claro que seu intento é a destruição do Estado Social", consta em trecho da nota assinada pelo presidente da Fonacate, Rudnei Marques, e pelo secretário-geral, Marcelino Rodrigues.

Outras representações de trabalhadores do funcionalismo público que se  manifestaram contra foram a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF), e Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef).

O Ministério da Economia afirmou em nota publicada na sexta-feira que a comparação feita pelo ministro Paulo Guedes entre servidores públicos e parasitas se tratava de uma situação específica, que foi retirada de contexto pela imprensa.

O ministério afirmou que Guedes " lamenta profundamente que sua fala tenha sido retirada de contexto pela imprensa" e que o episódio desviou a atenção "do que é realmente importante no momento", que seria a transformação do Estado para "prestar melhores serviços ao cidadão".

A pasta diz também que o ministro reconheceu "a elevada qualidade do quadro de servidores", antes de fazer a comparação, que era voltada especificamente para "estados e municípios que têm o orçamento comprometido com a folha de pagamento".

(Congresso em Foco)

Últimas notícias