terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Tasso solicita que o Senado investigue responsabilidade na decisão da refinaria

Senador Tasso cobra explicações da Petrobras.

O senador Tasso Jereissati (PSDB) apresentou, nesta terça-feira (24), requerimento na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle solicitando que o Senado Federal investigue as razões da decisão do Governo Federal, por intermédio da Petrobras, de cancelar o projeto da Refinaria Premium II, no Ceará, e buscar responsáveis pelos prejuízos causados aos cearenses.
"É absolutamente inconcebível que após todos esses anos, depois de tantas promessas e investimentos, em finanças e em sonhos, a Petrobras lance por terra um projeto de tal envergadura sem se dignar a explicitar as razões e justificativas de sua decisão. Além de revelar uma irresponsabilidade sem limites, a atitude da empresa, assim como dos senhores presidentes da república e os dirigentes da estatal demonstram completo desrespeito à população do Ceará, disse ele.
Em seu requerimento, Tasso lamentou a exploração política desta promessa, ao citar que “ em várias ocasiões, inclusive em cerimônias públicas, não apenas o Presidente Lula, mas como a sua então Ministra de Minas e Energia, e depois Presidente da República, Dilma Rousseff, foram ao Ceará, para a assinatura de protocolos de intenção, chegando inclusive a celebrar o assentamento da “pedra fundamental” daquela planta, o que fez o povo cearense crer que, finalmente, a tão desejada refinaria estava a caminho”. Em seguida, afirma que “não seria descabido duvidar de que, ao longo de todos esses anos, fomos todos vítimas de uma ardilosa mentira e que na realidade a Petrobras nunca esteve realmente comprometida com aquele projeto”
Dados apresentados pela Petrobras apontam para um prejuízo em torno de R$ 2,7 bilhões à empresa e o governo do Ceará estima o investimento, sem calcular os incentivos fiscais, em torno de R$ R$ 675 milhões.
"Um empreendimento tão gigantesco exigiria um mínimo de cuidados do ponto de vista contratual, visando garantir a correta aplicação dos recursos, as precauções com o descumprimento de obrigações e compromissos, as formas de ressarcimento por perdas e danos, prejuízos ao erário, afirmou.
(Assessoria do Senador)