sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Sobe para 14 o número de mortos em tentativa de assalto a banco em Milagres




ATUALIZADA ÀS 12h40min

Subiu para 14 o número de mortos durante a tentativa de assalto a banco na madrugada desta sexta-feira (7), no Centro de Milagres, na Região do Cariri. São oito bandidos e outras cinco pessoas da mesma família que foi feita refém pela quadrilha de assaltantes. Um refém também morto na ação, seria de Brejo Santo e assim, como a família, teria sido sequestrado e feito refém pela quadrilha que pretendia roubar duas agências bancárias na cidade. No início da manhã de hoje, a Polícia contabilizava 12 corpos.

Apesar de ter ocorrido por volta das 2 hora desta madrugada, as informações ainda são desencontradas. Três suspeitos de envolvimento na ação foram presos pela manhã, um deles em estado grave, foi socorrido para o Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no final da manhã.

Ainda pela manhã, o prefeito de Milagres, Lielson Landim, que é médico, disse que a família ia para Serra Talhada, em Pernambuco, quando passou por um trecho interditado na rodovia BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamanduá, e foi sequestrada. A quadrilha utilizou um caminhão para bloquear a via e parar o veículo das vítimas.

Entre as vítimas estão um empresário de Caruaru e o filho dele. Pai e filho foram até Juazeiro do Norte buscar três familiares que vinham de São Paulo para passar os festejos de fim de ano em Serra Talhada.

O sexto refém morto, ainda não identificado, seria da cidade de Brejo Santo e também foi parado na rodovia.

Até o momento estão identificados os corpos do comerciante João Batista Magalhães, de 46 anos, dono de uma loja de informática em Serra Talhada e o filho dele Vinícius Magalhães, de 14 anos, que também morreu no tiroteio.

Até o meio-dia desta sexta-feira, seis corpos já haviam dado entrada no Instituto Médico Legal (IML) de Juazeiro do Norte. Além de pai e filho, o IML recebeu os corpos de uma mulher e duas crianças que eram gêmeas. A diretora do órgão, Dra. Germana Brito já solicitou reforço na equipe para realização dos exames e posteriormente a liberação dos corpos.