sábado, 28 de dezembro de 2013

Oi lidera ranking de reclamações em 2013

Responsáveis por atormentar a vida de boa parte dos cearenses ao longo de todo ano de 2013 e alvo até de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) feita por deputados estaduais, os problemas com telefonia móvel - e fixa também, neste caso - fizeram quase duas mil pessoas irem ao Decon Ceará entre 1º de janeiro e 26 de dezembro deste ano e lideraram o ranking de reclamações do órgão estadual de defesa do consumidor, com 774 reclamações, ou seja, processos administrativos abertos.
Os números correspondem a apenas duas das dez empresas com maior número de reclamações. TNL PCS S/A e Telemar Norte Leste S/A, a primeira e a segunda mais reclamadas no Decon neste ano, atendem por um único nome fantasia: Oi. A primeira empresa, formada só por siglas, diz respeito aos serviços de telefonia móvel, enquanto a segunda corresponde aos serviços de telefonia fixa, os quais são prestados à maioria esmagadora dos cearenses.
Além da Oi, a Claro também figurou na 10ª posição do ranking, com 131 reclamações no período. As demais empresas do setor de telefonia, seja móvel ou fixa, não figuraram entre as dez empresas de maior número de processos administrativos computados pelo órgão estadual de defesa do consumidor.
Outro serviço de suma importância para o cotidiano dos cearenses - assim como de qualquer cidadão - e que teve destaque no ranking do órgão de defesa do consumidor foram os serviços prestados pelos bancos. Somando as quatro instituições bancárias - inclusive os diferentes nomes comerciais -, o número de processos administrativos abertos pelo Decon chega a 748.
O Bradesco é o que possui maior número de registros entre os bancos e assume a 5ª posição da lista ao reunir os três CNPJ´s (Banco Bradesco IBI, Banco Bradesco S/A e Banco Bradesco Financiamentos S/A) ao registrar 201 reclamações. Ele é seguido do Banco do Brasil (194 reclamações), Banco Santander (177) e Caixa Econômica Federal (176), os quais formam o segmento com maior grandeza entre as dez empresas mais reclamadas no Estado, segundo os registros do Decon Ceará.
COM INFORMAÇÕES DO DIÁRIO DO NORDESTE (REPRODUÇÃO: DN)