segunda-feira, 25 de maio de 2015

Camilo apresenta ações do Plano Pacto pelo Ceará Pacífico

Foto: Divulgação.

O governador Camilo Santana reuniu nesta segunda-feira (25), no Palácio da Abolição, os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) para apresentação de ações do Pacto pelo Ceará Pacífico, que engloba programas, projetos e ações voltadas para a prevenção da violência e redução da criminalidade. O encontro teve ainda a participação de entidades como a OAB, Defensoria, TRT, órgãos de segurança e secretários de várias áreas, além da Prefeitura de Fortaleza.
"Os três poderes estarem aqui presentes mostra o compromisso geral. Desejo que abracemos essa questão da violência. Nós não vamos avançar se não houver a participação de todos. O importante é fazer algo focado nesse momento e envolvendo a comunidade. Se não fizermos contato direto com o a comunidade, não funciona", disse Camilo Santana.
Durante o encontro, o governador apresentou a minuta do decreto que cria o comitê do Ceará Pacífico, que será discutido entre cada órgão, e reforçou o compromisso de ampliar esforços e recursos, estimulando a integração das ações, favorecendo a intersetorialidade e o aperfeiçoamento dos órgãos governamentais. O pacto será formalizado em Termo de Compromisso, subscrito pelos representantes dos três poderes, do Ministério Público e da Defensoria Pública, aberto a instituições e representações da sociedade civil. Para a organização e implementação do decreto, foram criados um Comitê de Governança, uma Secretaria Executiva, Câmaras Temáticas, uma Câmara de Articulação dos Poderes e Órgãos Autônomos e uma Câmara de Monitoramento e Análise.
Camilo avaliou de maneira positiva o encontrou e mostrou otimismo na tarefa de tornar o Ceará pacífico."Estou muito feliz, pois mostra o compromisso de todos em torno dessa questão da violência. Estou confiante para construirmos novos caminhos. Essa é uma reivindicação da sociedade cearense, um anseio. O Ceará é a terra da luz precisa ser conhecido também como a terra da paz. Se Deus quiser vamos todos tocar esse projeto", disse o governador.
(Governo do Ceará)