sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

PMDB quer Temer candidato e não aposta em Meirelles


O maior adversário da candidatura do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) à Presidência da República é seu chefe, Michel Temer.
A cúpula do PMDB acha que Meirelles não tem carisma nem jogo de cintura para emplacar no gosto do eleitorado. E mais: se o governo estiver suficientemente bem para sustentar uma candidatura, o melhor é que o escolhido seja do partido.
Os peemedebistas do Planalto raciocinam: se a economia melhorar e o governo conquistar alguma aceitação, também melhora o nível de popularidade do presidente da República. E se Temer estiver bem, ele é o melhor nome para representar o PMDB nas eleições.
Por enquanto a cúpula peemedebista no governo e o próprio Temer prestigiarão o ministro. Se até o início de abril ele não emplacar nas pesquisas, aí o PMDB pretende deflagrar as articulações pró-Temer.
Os sonhos de Meirelles e de Michel Temer estão atrelados à aprovação da reforma previdenciária. Sem ela, a economia patinará em 2018. Não naufraga, mas não melhora o suficiente para inflar a popularidade do governo, do ministro ou do presidente. Esse é hoje o quadro mais provável.
A área econômica já estuda aumentos de impostos e medidas microeconômicas alternativas para o caso de a reforma não ser aprovada.
(Poder 360)