quarta-feira, 6 de junho de 2018

Projeto de André Figueiredo faz dos Correios operador logístico do governo e deve triplicar receitas da empresa


Correios podem se tornar o operador logístico preferencial do Governo Federal. É o que prevê o projeto de lei, do deputado André Figueiredo (PDT-CE), aprovado nesta quarta-feira (6), na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara. Pela proposta, os órgãos e entidades federais da Administração Direta e Indireta terão de  utilizar, preferencialmente, os serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) nas demandas de transporte e tratamento de cargas. Medida pode triplicar receitas anuais da empresa que hoje giram em torno de R$ 20 bilhões.
O texto aprovado foi elaborado pelo deputado André Figueiredo quando era Ministro das Comunicações, em 2016, com o objetivo de publicar na forma de um Decreto da presidência da República. Com a mudança de governo, o pedetista reassumiu o mandato de deputado federal e apresentou o texto na Câmara.
O deputado asseverou ainda que, mesmo a ECT tendo elevado conceito no mercado e seja a empresa pública de maior credibilidade junto à população brasileira há muitos anos,  sua situação financeira é grave e precisa de ajuda urgente para não ter a continuidade dos serviços comprometida. “A aprovação desta proposta proporcionará isonomia na Administração Pública; permitirá a recuperação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, possibilitará a prestação de serviços com maior confiabilidade, segurança e garantia de qualidade e custos menores, além de gerar melhores condições para o cumprimento da missão de cidadania de servir à sociedade brasileira, marca de seus 353 anos de existência e de prestação de serviços de interesse do povo brasileiro”, pontuou.
(Assessoria do deputado)