quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Ministério Público Eleitoral pede inelegibilidade do deputado estadual eleito mais bem votado o Ceará


O deputado estadual mais bem votado o Ceará nas eleições de outubro passado, André Fernandes (PSL), com pouco mais de 109 mil votos, virou alvo de ação do Ministério Público Eleitoral (MPE), que entrou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), pedindo sua inelegibilidade por abuso de poder religioso. O dpeutado eleito negou irregularidades.
Segundo o procurador regional eleitoral Anastácio Tahim Júnior, autor da ação, o então candidato é "diretamente responsável por condutas caracterizadoras de abuso de poder econômico, na modalidade abuso de poder religioso, bem como de todos os que tenham contribuído significamente para a prática do ilícito".
"É evidente a caracterização do abuso de poder religioso, em gravidade suficiente a conferir aos beneficiários condição privilegiada e odiosa na disputa", afirma Tahim. "O então candidato André Fernandes foi beneficiado com uma espécie de publicidade extraoficial ao ser exaltado no contexto de diversos cultos religiosos, perante milhares de fiéis presentes no local, que lhe propicionou experimentar invejável e ilegítimo favorecimento em evidente quebra de paridade de armas."

Defesa

Segundo André Fernandes: "O que diz lá no processo é simplesmente achismo. Eles querem dizer que acham que foi um apoio político em culto religioso, mas em nenhum momento conseguem provar que houve abuso de poder religoso", explica Fernandes.

"Se aconteceu foi uma oração e, desde que eu sabia, isso é pemitido. Muitas pessoas receberam orações. Nada mais do que isso", argumenta. O deputado estadual eleito afirmou que vai se defender no processo. "Tenho certeza que tudo vai dar certo. Quem não deve, não teme".

(Com informações do DN)