segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Camilo Santana admite que foi infeliz ao falar sobre mortes de reféns e diz que pediu desculpas às famílias


O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), admitiu em entrevista coletiva nesta segunda-feira, 10, que foi infeliz em sua fala sobre os reféns mortos durante troca de tiros entre policiais e suspeitos de tentar atacar agências bancárias em Milagres, no Cariri. No dia da ação policial que resultou em 14 mortes, entre assaltantes e inocentes, sexta-feira, 7, Camilo participou da inauguração do Centro de Inteligência Policial. Quando questionado sobre o caso, o governador respondeu que não sabia da existência de reféns e que era “estranho um refém de madrugada num banco”.

“O fato é que estavam preparados para assaltar dois bancos e não assaltaram nenhum”, disse também o governador na sexta-feira. Ele explicou que, no momento em que foi questionado, não tinha conhecimento sobre a identificação dos corpos, portanto não sabia das informações sobre as mortes de inocentes. Camilo disse também que sua primeira declaração foi “mal interpretada” pela mídia. O governador afirmou que pediu desculpas às famílias, reiterou solidariedade com as vítimas e defendeu a posição de “respeito com pessoas e com a vida”.

Camilo informou que 12 policiais envolvidos na ação já foram afastados de suas atividades externas e vão passar a atuar em processos administrativos até o fim das investigações sobre o caso. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) irão integrar as investigações do fato com pelo menos 40 agentes. Além disso, equipes que prestam serviços para famílias envolvidas em situações de violência foram acionadas pelo Estado.

(O Povo)