sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Analise de dados do IBGE indica que economia de 2,7 mil municípios dependem da administração pública

Uma analise feita pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) de dados do IBGE demonstrou que 2.725 dos 5.570 Municípios tiveram como principal atividade econômica a Administração Pública, ou seja,  48,9% dos municípios do pais.

Os dados analisados são referentes ao PIB (Produto Interno Bruto) dos municípios brasileiros, PIB valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região. Analise da  CNM  ainda identificou que 96% são de pequeno porte; 3% de médio e 1% de grande porte.

No Nordeste, mais da metade dos Municípios encontravam-se dependentes da administração pública. Depois do Nordeste, aparecem, com números bem menos expressivos, respectivamente, o Norte, o Sudeste, o Centro-Oeste e o Sul.

Por meio dessas classificações, a CNM indica que mais de 70% dos Municípios que eram dependentes da Administração Pública em 2016 eram rurais e estavam entre os intermediários adjacentes e remotos e os rurais adjacentes e remotos. Neles, a Administração Pública aparece como atividade que gera o maior Valor Adicionado Bruto (VAB) ao PIB municipal.

Os números mostrados pelo IBGE reforçam o que a CNM tem alertado ao longo dos anos: elevado números de cidades do Nordeste, do Norte e do Centro-Oeste têm na atividade governamental sua maior geração de riqueza e o principal condutor de desenvolvimento.