sábado, 17 de novembro de 2018

Veja os municípios cearenses mais afetados com saída de Cuba do Mais Médicos

A saúde nos municípios cearenses pode ficar no prejuízo com o anúncio do fim da parceria entre Cuba e Brasil, no Programa Mais Médicos.
Até o fim do ano, os mais de 8 mil médicos cubanos que atuam no Brasil devem retornar ao país de origem. A decisão foi tomada na última quarta-feira (14) pelo governo de Cuba, por causa de declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que questionou a preparação dos profissionais e exigiu mudanças nas regras.
No Ceará, havia 1.229 profissionais do Programa Mais Médicos até outubro deste ano. Desse total, 448 médicos cubanos estavam trabalhando em 118 municípios cearenses, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde. Os municípios com maior número de médicos cubanos são Morada Nova, Iguatu, Fortaleza, Itapajé e Granja.
Segundo o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará, as populações periféricas, indígenas e do interior do estado devem ser as mais atingidas. Além disso, deve haver desfalque em Morada Nova e Iguatu, já que todos os todos os profissionais do Mais Médicos que atuam nos municípios são cubanos.

(TC)