terça-feira, 20 de novembro de 2018

Orçamento analisa obras com irregularidades identificadas pelo TCU

No início do mês, o Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou a paralisação de 10 obras custeadas, no todo ou em parte, com recursos federais por apresentarem indícios de irregularidades graves.
A recomendação do TCU está sendo analisada pelo Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades (COI), que é coordenado pelo deputado Covatti Filho (PP-RS).

A pedido do COI foram convidados para discutir o assunto nesta quarta-feira (21) os ministros da Integração Nacional, Antônio de Pádua, e das Cidades, Alexandre Baldy.

A audiência será realizada no plenário 2 a partir das 14 horas.

Rodovias, Hemobras e Vila Olímpica
Na quinta-feira (22) a discussão será retomada às 9 horas, também no plenário 2. Desta vez será ouvido o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, e diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mario Rodrigues Junior, já que, dos 10 empreendimentos listados pelo TCU, cinco deles, que constam no Anexo 6 da lei orçamentária deste ano, dizem respeito à mobilidade.

São eles: travessia urbana nas BRs 235/407, em Juazeiro (Bahia); implantação do BRT em Palmas (TO); trechos 1 e 2 do corredor de ônibus Radial Leste, na cidade de São Paulo; e obra de construção da BR 040, em Petrópolis (RJ).
O TCU deve rever a sua posição quanto à construção da Vila Olímpica de Parnaíba (PI), cujos contratos com irregularidades já foram rescindidos, e à construção da Fábrica de Hemoderivados e Biotecnologia (PE), que já teve os pagamentos suspensos pelo gestor.

O ministro do Esporte, Leandro Cruz Fróes da Silva, e o diretor de Desenvolvimento Industrial da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobras), Oswaldo Cordeiro de Paschoal Castilho, também foram convidados para dar explicações aos parlamentares.