segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Bolsonaro terá semana de anúncio de ministro

Jair Bolsonaro tenta nesta semana fechar mais nomes de ministros, tem reunião marcada com governadores do Nordeste e deve prestigiar a cerimônia de casamento de um dos seus homens fortes, o ministro extraordinário da transição, o gaúcho Onyx Lorenzoni, confirmado para a Casa Civil.
Quase 30 dias depois da eleição de Bolsonaro, a futura primeira-dama Michelle Bolsonaro irá a Brasília pela primeira vez. O presidente eleito desembarca na capital na manhã desta terça-feira (20), mas Michelle deverá chegar em outro voo, ainda sem definição de horário e data.
Na quarta-feira (21), Bolsonaro deverá se reunir com os governadores eleitos e reeleitos do Nordeste. Segundo o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Bolsonaro quer transformar o Nordeste numa vitrine de sua gestão, retomando as obras paralisadas das administrações petistas, como a transposição do Rio São Francisco e a construção de ferrovias, como a Transnordestina.
Amanhã, o capitão reformado do Exército vai se reunir logo cedo com o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário. Inicialmente, Bolsonaro anunciou que parte da CGU poderá ser absorvida pelo Ministério da Justiça. A definição está em aberto.
As reuniões com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carreiro, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, estão previstas para a tarde de terça-feira.
Há ainda a possibilidade, não confirmada oficialmente, de o presidente eleito ir para São Paulo nesta semana. Bolsonaro deverá ser submetido a uma bateria de exames, no Hospital Albert Einstein, para preparar a retirada da bolsa de colostomia. A cirurgia para remoção da bolsa está prevista para 12 de dezembro.

Ministérios
A diplomação do futuro presidente está marcada para o dia 10 de dezembro. Bolsonaro já disse que pretende anunciar todos os ministros até a data da sua cirurgia.
Ontem, ele disse que ainda não escolheu o ministro do Esporte. Segundo ele, a fusão com a pasta da Educação ainda não está decidida, mas o Esporte terá espaço de destaque em seu governo. "Estamos definindo essas coisas todas", disse, após participar da etapa do Rio do Grand Slam de Abu Dhabi torneio mundial do jiu-jítsu. Ainda há indefinições sobre o número final de ministérios. Inicialmente, falava-se em 15 Pastas, mas agora se cogita até 18 ministérios.
A nova estrutura do Palácio do Planalto, que está sendo desenhada pela equipe do presidente eleito, prevê que a pasta da Casa Civil passe a ter outra atribuição e deixe de coordenar os ministérios do governo. Esse trabalho passaria a ser feito pelo vice-presidente eleito da República, general Hamilton Mourão.
A ideia é liberar Onyx Lorenzoni para a articulação política com o Congresso, já que a Secretaria de Governo - que desempenha esse papel atualmente - será extinta.
Na visão do núcleo mais próximo do presidente eleito, a articulação política e a abertura de um canal de ligação de Bolsonaro com os parlamentares vão demandar tempo e esforço em um cenário de votação de projetos considerados fundamentais pela nova gestão.
A expectativa é que, nos próximos dias, Bolsonaro divulgue, nas redes sociais, os nomes dos futuros ministros da Saúde e Meio Ambiente.
Na quinta (22) à noite, o casal Bolsonaro faz sua primeira aparição em evento social desde a vitória, indo ao casamento de Onyx Lorenzoni. O deputado do DEM-RS se casará com a noiva Denise, em uma cerimônia reservada, em Brasília. Ainda não está confirmado, mas são esperados bispos da Igreja Sarah Nossa Terra.

(DN)