sábado, 27 de outubro de 2018

Ciro Gomes resume discurso a "Ele Não" em retorno de viagem


Depois de duas semanas fora do Brasil, Ciro Gomes (PDT) retornou ontem à noite a Fortaleza. Na chegada, foi recebido com festa por simpatizantes que lotaram o desembarque do aeroporto Pinto Martins por volta das 22h40min.

A expectativa do PT era que o candidato terceiro colocado no primeiro turno da disputa presidencial se posicionasse de forma mais incisiva a favor de Fernando Haddad (PT) na eleição de amanhã, o que não ocorreu.

No empurra-empurra, Ciro acabou não falando com a imprensa. Ao lado de aliados, gritou "Ele Não" em referência à campanha contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).


No mesmo dia, em viagem a Salvador, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse que sua candidatura "vai ganhar uns três ou quatro pontos com o apoio do Ciro", em referência a um vídeo que o candidato do PDT Ciro Gomes, derrotado no primeiro turno da corrida presidencial, poderia gravar declarando apoio ao petista na reta final do segundo turno.


Após a imprensa noticiar que Carlos Lupi, presidente do PDT nacional, havia afirmado que o vídeo seria produzido, o dirigente negou ontem a afirmação.


Entre deputados, vereadores e lideranças ligadas ao ex-ministro presentes no ato, também foram registradas as presenças dos irmãos Cid e Ivo Gomes. Apesar da insistência, nenhum dos dois quis falar com a imprensa. "Sou só um militante", resumiu o prefeito de Sobral. Cid, por outro lado, não respondeu às perguntas sobre a gravação de um possível vídeo de Ciro em apoio a Haddad. "Perguntem ao Lupi", respondeu.


Reunido às lideranças locais do PDT, o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, chegou cedo ao aeroporto. Ao O POVO, o dirigente voltou a defender a candidatura do ex-governador para daqui a quatro anos e disse que o não engajamento de Ciro na campanha de Fernando Haddad (PT) já havia sido anunciada desde o dia dez deste mês.


"Nós já demos o apoio crítico. Ele foi descansar um pouco porque é filho de Deus. Ele fez o que tem que fazer", disse o ex-ministro.


Para Lupi, uma nova candidatura presidencial é "um desejo conjunto", do partido e de Ciro. "Ele está otimista. Acha que tem que correr o Brasil mesmo", declarou. A estratégia do partido é lançar mais uma vez o nome do cearense para a quarta corrida à Presidência da República.


Agora, pontuou Lupi, o trabalho será antecipado para a reconstrução do nome do ex-governador. "Ele mobilizou muita juventude. É começar a reconstruir ele município por município, estado por estado".

(Wagner Mendes/O Povo)