segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Siglas burlam repasses para candidatas

No intuito de garantir paridade entre os gêneros no pleito, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que os partidos destinem ao financiamento de campanhas de mulheres, no mínimo, 30% dos recursos do Fundo Eleitoral. No entanto, a regra ainda está distante da realidade de muitas postulantes. Levantamento feito pelo Diário do Nordeste constatou que há candidatas no Ceará que receberam recursos partidários e não os utilizam, enquanto outras seguem sem repasses e estrutura para fazer campanha.
Caso que chama atenção no Estado é o da aposentada Lucilene Correia da Costa, a "Mamãe"(Podemos). Moradora da Praia do Titanzinho, no Serviluz, ela recebeu doação de R$ 300 mil da direção nacional do Podemos, mas até o momento, segundo informou, não recebeu um centavo sequer. Questionada se tinha conhecimento de recebimento de recurso da legenda, a candidata não soube informar.
O vice-presidente da sigla, Toinho do Chapéu, informou que os R$ 300 mil de "Mamãe" serão redistribuídos entre todas as candidatas a deputada estadual da legenda. Segundo ele, o valor foi alocado na conta da postulante porque era a única preparada para tal na data limite para transferência. O Podemos registrou candidaturas de apenas sete postulantes a deputada estadual neste ano. Destas, uma renunciou e outra está com registro pendente.
Outra candidata recrutada pelo partido é Vilmar Duarte Leite, a "Vilma", que, mesmo no período de campanha, segue a vida como funcionária de uma farmácia em Fortaleza. Ela foi candidata a vereadora de Fortaleza em 2016, quando teve 263 votos. Muitos partidos insistem em candidaturas de mulheres que tiveram resultados inexpressivos em eleições passadas. Maria Estrela da Silva, a "Estrela Que Brilha" (PPL), que concorre pela quarta vez, teve na disputa mais recente, para vereadora de Juazeiro do Norte, em 2016, apenas 75 votos. Naquele ano, ela recebeu repasses do diretório municipal do PDT - e não do próprio partido - pela única vez depois de duas disputas sem recursos. Neste ano, ainda não declarou receita à Justiça Eleitoral.

(DN)