segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Pesquisa Ibope - Camilo mantém liderança disparada: 69%; e o General Theophilo tem 7%


O Ibope divulgou nesta segunda-feira, 24, mais uma pesquisa para o Governo do Ceará. Nela, a liderança absoluta continua com o governador Camilo Santana, candidato a reeleição,

Confira os números da pesquisa Ibope:

Camilo Santana (PT): 69%

General Theophilo (PSDB): 7%

Hélio Góis (PSL): 2%

Ailton Lopes (Psol): 1%

Gonzaga (PSTU): 1%

Mikaelton Carantino (PCO): não pontuou

Brancos/Nulos: 13%

Não sabem/não responderam: 6%

A pesquisa foi encomendada pela TV Verdes Mares. É o segundo levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral. O candidato Mikaelton Carantino (PCO) apresentou renúncia ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

No levantamento anterior, feito de 13 a 15 de agosto, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes: Camilo Santana: 64%; General Theophilo: 4%; Ailton Lopes: 2%; Hélio Góis: 2%; Gonzaga: 2%. Brancos/nulos: 17%; Não sabe: 9%. Mikaelton Carantino (PCO) não pontuou.

Rejeição
O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Os entrevistados podem citar mais de um candidato, por isso, os resultados somam mais de 100%. Veja os índices:

General Theophilo (PSDB) : 34%

Francisco Gonzaga (PSTU): 33%

Ailton Lopes (Psol): 28%

Dr. Hélio Góis (PSL) : 27%

Mikaelton Carantino (PCO): 24%

Camilo Santana (PT): 13%

Poderia votar em todos: 4%

Não sabe/não respondeu: 25%

Sobre a pesquisa
Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Quem foi ouvido: 1.204 eleitores, em 60 cidades, com 16 anos ou mais
Quando a pesquisa foi feita: 18 a 24 de setembro
Registro no TRE: CE-09888/2018
Registro no TSE: BR‐09794/2018.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado