quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Ibope suspende e Datafolha cancela divulgação de pesquisa por causa de Lula

A divulgação da pesquisa Ibope esperada para esta terça-feira (4) foi suspensa, enquanto o Datafolha cancelou o levantamento que faria esta semana por conta de dúvidassobre a inclusão do nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
No caso do Ibope, o instituto protocolou um requerimento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), questionando se pode divulgar o resultado do levantamento. A pesquisa registrada na última quarta-feira (29), ainda trazia Lula como candidato em um dos cenários de primeiro turno testados, em cumprimento ao que estabelece a Lei Eleitoral. Contudo, com a decisão do Tribunal de indeferir o pedido de registro da candidatura petista, o instituto apenas aplicou, no campo entre os dias 1 e 3 deste mês, questionamentos referentes a simulações que desconsideravam o nome de Lula, embora no questionário registrado junto à Justiça Eleitoral constasse pergunta incluindo o petista.
O Ibope publicou nota na noite desta quarta-feira, explicando o caso. O texto foi lido ao vivo pelos apresentadores do Jornal Nacional, da TV Globo. A emissora foi uma das contratantes da pesquisa, juntamente com o jornal O Estado de S.Paulo. A íntegra da nota está disponível ao final desta reportagem.
Já o Datafolha oficializou o cancelamento do registro da pesquisa eleitoral que seria realizada entre 4 e 6 de setembro também por conta do uso do nome do ex-presidente  Lula.  Como o questionário contemplava um cenário com o nome do petista, o instituto 05/09/2018 Ibope suspende e Datafolha cancela divulgação de pesquisa por causa de Lula - decidiu não aplicá-lo. Com isso, o Datafolha registrou uma nova pesquisa, que serádivulgada na próxima segunda-feira (10).
Confira na íntegra da nota divulgada pelo Ibope:

Eleições 2018: Esclarecimento
O IBOPE registrou no TSE, dia 29 de agosto, cinco dias antes da data de divulgação, como prevê a lei, pesquisa eleitoral sobre a intenção de votos nos candidatos à presidência da República, sendo os contratantes a TV Globo e o jornal O Estado de S. Paulo. Naquela ocasião, o PT havia solicitado o registro de Luiz Inácio Lula da Silva como seu candidato e aguardava definição a respeito do Tribunal Superior Eleitoral. Por esta razão, como fez em pesquisa anterior, o IBOPE registrou no TSE pesquisa com dois cenários. O primeiro, com o nome de todos os candidatos com registros solicitados ao Tribunal, incluindo Lula. O segundo, com o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente na chapa do PT, apontado como eventual substituto de Lula em caso do então provável indeferimento de sua candidatura.
Ocorre que na madrugada de sábado, dia 1° de setembro, o plenário do TSE, sem aviso prévio de que julgaria o feito, indeferiu o registro da candidatura de Lula e proibiu que o ex-presidente participasse, como candidato, de atos de campanha ou da propaganda eleitoral no Rádio e na Televisão. A Corte determinou também que o nome de Lula fosse retirado da urna eletrônica e concedeu 10 dias para que o PT indicasse novo candidato.
Diante disso, na manhã de sábado, antes da realização da pesquisa, e para estar de acordo com o julgamento e as determinações do TSE, o IBOPE não pesquisou o cenário com Lula, diferentemente do que constava do registro da pesquisa, aplicando apenas o cenário alternativo, tendo Haddad como candidato. A intenção do instituto é obter o aval do TSE para divulgação do resultado dessa pesquisa, com a mencionada adequação. Foi o que o IBOPE fez hoje.
Até o momento, porém, o TSE não se manifestou sobre a questão, razão pela qual, em respeito à lei, o IBOPE não liberou a pesquisa para divulgação. Tão logo o TSE se pronuncie a respeito, o IBOPE informará o público e, consoante com a decisão da Corte, liberará ou não os resultados.