quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Bolsonaro causa mais uma polemica ao fazer declaração sobre o incêndio do museu nacional

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) se manifestou nesta terça-feira, 4, sobre o incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Questionado sobre suas propostas para a manutenção de patrimônios históricos, o presidenciável tangenciou e preferiu atacar a administração do equipamento, “toda de gente filiada ao Psol e o PCdoB”, sgundo ele.
 
Durante a noite desse domingo, 2 de agosto, um incêndio destruiu o Museu Nacional do Rio, um dos mais importantes patrimônios do País. Questionado por jornalista do portal UOL, Bolsonaro colocou a culpa da tragédia nas indicações políticas. “Os partidos se aproveitam, vendem o seu voto aqui dentro, como regra, para que a administração seja deficitária e lucrativa para eles individualmente”, declarou.
Após o repórter dizer que o incêndio causou grande comoção nacional, o candidato rebateu: “Tá, e daí? Já tá feito, já pegou fogo. Quer que eu faça o quê?”.
 
Líder das intenções de votos em cenário sem Lula (PT), que teve candidatura rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o deputado federal ainda ironizou os questionamentos. “O meu nome é Messias, mas eu não tenho como fazer milagre”, afirmou, complementando ainda que os jornalista querem colocá-lo “contra a cultura”.
 
“A cultura é importante. Eu quero saber de cultura raiz. Recursos via Lei Rouanet para artista que está iniciando a carreira, música caipira, sertaneja, é por aí. Não é para esses globalistas ficarem mamando na nossa teta, não”, explicou o candidato.