sexta-feira, 28 de setembro de 2018

20 municípios do Estado terão atos contra Bolsonaro no sábado (29)

Em pelo menos 20 municípios cearenses, grupos de mulheres organizam atos contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) para amanhã (29). Em Fortaleza, a mobilização "Mulheres contra Bolsonaro" está marcada para as 15 horas, na Praia de Iracema, nas proximidades do Centro Cultural Belchior. Ontem, contudo, uma decisão da Justiça Eleitoral proibiu que manifestação com o mesmo teor ocorra em Icó, na região Centro-Sul do Estado.
O juiz eleitoral Francisco Ireilton Bezerra Freire, da 15ª Zona Eleitoral, argumentou, em decisão de
ontem (27), que outra manifestação - desta vez a favor do presidenciável do PSL - já havia sido agendada para ocorrer no mesmo local e na mesma data. "Verificou-se que o evento político - 'Carreata em apoio a Jair Bolsonaro' - foi comunicado antes", afirma o juiz.
Marcado para ocorrer a partir das 17 horas, na Coluna da Hora, no Centro da cidade, o evento "Ele
não, mulheres contra o coiso", apresentava pontos de convergência com a outra manifestação, o
que poderia gerar confronto entre os grupos contra e a favor do candidato.
De acordo com o promotor de Justiça Emanuel Girão, coordenador do Centro de Apoio Operacional
Eleitoral (Caopel) do Ministério Público do Estado do Ceará, a alternativa é a mudança de local e/ou
de data, a fim de que não haja possibilidade de encontro entre os dois atos. "Vale ressaltar que a
primazia pela utilização do espaço é para quem informou primeiro à Justiça Eleitoral".
De acordo com as organizadoras, as atividades são suprapartidárias e rejeitam o "avanço do autoritarismo político no Brasil", em defesa da democracia e dos direitos sociais e humanos. Jair Bolsonaro já declarou que "não contrataria mulheres com o mesmo salário que homens" e o candidato a vice na chapa, general Hamilton Mourão (PRTB), armou, recentemente, que famílias cheadas por mães e avós são "fábricas de desajustados".

(DN)