terça-feira, 28 de agosto de 2018

Primeiro Fórum Comunitário do Selo Unicef é realizado em Crato


Com o objetivo de discutir políticas públicas para crianças e adolescentes, o Governo municipal do Crato realizou durante todo o dia de ontem, 27, o 1º Fórum Comunitário do Selo Unicef Edição 2017-2018, com o tema “Crato coração do semiárido”.
O primeiro 1º Fórum Comunitário do Selo Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef) foi elaborado para discutir políticas públicas voltadas a crianças e adolescentes, e teve o objetivo de envolver a comunidade para identificar os principais problemas relacionados a situação das crianças e adolescentes do município, além de discutir sobre as causas desses problemas e sobre as ideias e sugestões de como resolve-los.
Participaram da mesa de abertura do evento o Prefeito do Crato, Zé Ailton; o Juiz José Flávio de Moraes; representando a câmara do legislativo; a vereadora Ticiane Candido; o promotorDr David Moraes; o delegado da Policia Civil, Luis Eduardo da Costa; a secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, Edivania Gonçalves; a presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes, Adilma Figueiredo; o coordenador da Comissão Inter Setorial, Moises Otávio; e o jovens Levi Nunes, representando o Núcleo de Cidadania dos Adolescentes do Crato – NUCA, além da participação de estudantes, servidores municipais e a sociedade civil.
O prefeito Zé Ailton destacou o empenho das secretarias na mobilização das ações voltadas para as questões sociais dos jovens do Crato. Segundo ele, esse é um trabalho que passa por vários setores que foram fundamentais na condução dos trabalhos, com o objetivo de soluções para essa problemática. “Esse é um grande momento, pois, estamos reunidos com o poder executivo, legislativo e judiciário, numa união de forças para fazer a diferença. Estamos no caminho certo para a condução das políticas sociais. Que esse fórum não seja só uma discussão, mas que seja a busca de alternativas para que possamos melhorar consideravelmente as questão das crianças e adolescentes”, diz o prefeito.
A articuladora do Selo, Sandra Costa, apresentou a metodologia do Selo, e um diagnóstico da situação do município do Crato. “O município já realizou a primeira conquista com a adesão por parte do gestor, Ze Ailton e com o engajamento de todos os secretários envolvidos nesse processo, sensibilizando a população, contribuindo para que possamos avançar nas politicas publicas”, ressalta a articuladora.
O fórum contou com a apresentação do Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (NUCA), além das apresentações dos diagnósticos da Saúde, Educação e Assistência Social do Município e apresentação artística do CRAS Seminário com o tema “Semeando sabedoria, praticando a convivência da boa cidadania para colher frutos do amor”.
A plateia contou com grande grande vereadores, Fernando Brasil, Ticiana Candido, Amadeu de Freitas, Júnior Matos, e todo o secretariado do governo municipal.
Durante a tarde, os convidados foram divididos em quatros grupos de discussão, conforme estabelece o regulamento do Selo UNICEF: Excluidos, Vulneráveis, Vítimas e Engajados. Cada grupo discutiu os indicadores e propôs ações para compor o Plano de Ação pelos Direitos das Crianças e Adolescentes.
No grupo “Excluídos, foram propostos a criação do Comitê de Erradicação do sub-registro civil de nascimento; ações de comunicação para tratar da importância da documentação para os pais, ainda na maternidade.
O grupo “Vulneráveis” propôs a criação de um grupo de educação e saúde para gestantes e mães da puericultura para tratar da alimentação saudável das crianças desde a introdução alimentar; realizar o dia D da Alimentação Saudável; e palestras com os pais sobre lancheira saudável; facilitar o acesso dos jovens aos preservativos e contraceptivos; captar precocemente as gestantes para diagnosticar a sífilis, testar, inclusive os parceiros, e tratar adequadamente. Ofertar o teste de sífilis durante o planejamento familiar e realizar campanha de conscientização em outubr. Na frente da mortalidade materna, fortalecer o comitê de investigação em tempo hábil para alimentar corretamente o sistema. Para combater a mortalidade infantil, a sugestão é manter a parceria com o hospital para o atendimento das grávidas de alto risco.
Já no grupo Vítimas, as ações são de fortalecimento do sistema de garantias de direitos; realização de campanhas, a exemplo da Setembro Amarelo, contra o suicídio; campanhas de conscientização conte drogas e violência.
No grupo Engajados, o principal tema foi o protagonismo juvenil, que deve ser promovido através de campanhas amplas nas escolas, em parceria com o TRE; e ainda a inclusão de duas vagas para crianças e adolescentes no CMDCA.
"Agora essas ações serão compiladas no Plano Municipal e divulgado em breve pela comissão do Selo UNICEF", afirmou Pedro Vitor.
(Assessoria de Imprensa)