quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Hospital Regional de Iguatu acolhe pacientes de 10 cidades e número de atendimento é crescente

Marcelo Sobreira é secretário de Saúde de Iguatu

O Hospital Regional de Iguatu atende diariamente pacientes de nove municípios da região (Acopiara, Cariús, Catarina, Deputado Irapuan Pinheiro, Jucás, Mombaça, Piquet Carneiro, Quixelô e Saboeiro), além dos moradores de Iguatu.
Todos os anos, o Hospital Regional de Iguatu investe mais recursos financeiros do que recebe desses municípios. Estamos no meio do ano e Catarina, por exemplo, já utilizou 88% dos recursos que foram pactuados. Jucás já chegou a 76%.
Mesmo diante desse quadro, a secretaria de Saúde de Iguatu e o Hospital Regional trabalham firmes para assegurar o atendimento de qualidade com realização de consultas, exames e cirurgias aos pacientes.

Número de atendimento é crescente

O número de atendimento no Hospital Regional de Iguatu vem crescendo desde 2016, em todas as clínicas. Isso demonstra maior capacidade e melhor qualidade de prestação de serviço.
No primeiro trimestre de 2016, foram 34499 pacientes atendidos pela emergência – incluindo consulta, cirurgia, obstetrícia, pediatria e traumatologia. No mesmo período de 2017, foram 42489 e entre janeiro e junho desde ano, o número de atendimento chegou a 45.538. Os dados são do Hospital Regional de Iguatu.
“Os números mostram que houve um aumento significativo no atendimento”, pontuou o secretário de Saúde de Iguatu, Marcelo Sobreira. “O nosso trabalho é assegurar um serviço de qualidade a todos os pacientes”.
Os dados revelam que o Hospital Regional de Iguatu é um equipamento complexo, de ampla capacidade. A unidade oferta mais de 30 mil refeições ao mês. São seis por dia – para pacientes e funcionários e três para acompanhantes.

Mais equipamentos e medicamentos

Se comparado, é possível observar o grande aumento no setor de medicamentos e de aquisição de materiais. Em junho de 2016, o hospital destinou R$ 140.820,67 para compra de tais itens. No mesmo período de 2017, o valor destinado foi de R$ 296.767,57. Já em junho de 2018, o valor superou as cifras dos R$ 301.000,00, implicando um aumento de mais de 100%, em comparação com junho de 2016.
O consumo elevado de medicamentos se deve aos mais de 6 mil atendimentos realizados a cada mês naquela unidade de saúde referente aos pacientes das cidades da 18º Regional de Saúde (Iguatu, Quixelô, Acopiara, Mombaça, Irapuã Pinheiro, Catarina, Jucás, Cariús e Saboeiro).
Outros números impressionam. No primeiro trimestre de 2016, foram internados 2681 pessoas (1707 de Iguatu e 974 das outras cidades). No mesmo período de 2017 foram internados 3481 (2036 de Iguatu e 1445 dos outros municípios).
O número de internação voltou a crescer neste ano. Entre janeiro e junho, foram 3940 internamentos (2521 de Iguatu e 1419 de outros municípios), um aumento de 1259 pacientes se comparado com o primeiro semestre de 2016.
“Estamos ampliando o atendimento e temos mais qualidade dos serviços”, ressaltou a diretora da unidade, Darriele Gomes. “Muitos problemas já foram resolvidos como a falta geral de medicamentos que se verificou ao longo de 2016”.

Moderna pediatria

Um problema antigo foi resolvido. A emergência pediátrica agora funciona em unidade própria, moderna. “Foi um avanço fundamental”, destacou Darriele Gomes.
No passado, crianças, adultos e idosos ficavam juntos, lado a lado, em uma sala da emergência geral, aguardando a consulta. O risco de infecção era maior.

Hospital mãe

O secretário de Saúde, Marcelo Sobreira, compara o Hospital de Iguatu como uma mãe, que acolhe seus filhos vindos de outras cidades. “Somos um hospital regional, uma unidade mãe, que recebe e acolhe seus pacientes oriundos de outros municípios, às vezes até de cidades de outro polo regional como Orós e Icó, e isso traz dificuldades financeiras para a unidade, pois não recebemos a devida contrapartida”, pontuou.
Marcelo Sobreira observa: “Apesar das dificuldades financeiras, muita coisa já melhorou, implantamos a Casa de Parto Normal, que oferece atendimento humanizado e de qualidade para a gestante e para o recém-nascido, a nova pediatria, e estamos fazendo novos investimentos para melhorar ainda mais o serviço prestado à população”
(Assessoria de Imprensa)