terça-feira, 28 de agosto de 2018

Ciro Gomes diz ao JN ter 'confiança cega' em Lupi e apresenta manual com proposta para 'ajudar a tirar' endividado do SPC


Candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, afirmou nesta segunda-feira (27) em entrevista ao Jornal Nacional que tem confiança "absolutamente cega" no presidente do partido, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, réu por improbidade administrativa e que responde a inquérito no Supremo Tribunal Federal por suposta compra de apoio político para o governo Dilma Rousseff em 2014.
Ele também entregou um manual impresso no qual disse explicar detalhadamente a proposta de "ajudar a tirar" os nomes de 63 milhões de brasileiros do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Veja a íntegra e leia a transcrição da entrevista ao JN

Ciro Gomes foi o primeiro entrevistado da série do JN com presidenciáveis. Nesta terça (28), será a vez de Jair Bolsonaro (PSL); na quarta (29), Geraldo Alckmin (PSDB), e, na quinta, Marina Silva (Rede). Luiz Inácio Lula da Silva, presidenciável do PT, está preso e proibido pela Justiça de dar entrevistas.

Carlos Lupi
Após relacionar denúncias das quais é alvo Carlos Lupi, o jornalista William Bonner indagou: "Qual é a coerência de se dizer intransigente com a corrupção e ao mesmo tempo o senhor escolher para integrar o seu governo uma pessoa com um perfil, um histórico como esse de Carlos Lupi para que ele ocupe o cargo que quiser?"
Ciro Gomes disse que não ofereceu cargo a ninguém, mas ressalvou que, se eleito, Lupi terá a posição que quiser em razão da convicção de que o presidente do PDT é um "homem de bem", em quem tem confiança "absolutamente cega".
“Se eu for eleito, o Carlos Lupi terá no meu governo a posição que quiser porque eu tenho convicção de que ele é um homem de bem", declarou. "O Carlos Lupi tem a minha confiança cega, absolutamente cega", declarou.
O candidato se disse "surpreendido" com a informação de que Lupi é réu por improbidade administrativa. Segundo o Ministério Público Federal, em 2009 Lupi viajou para agendas oficiais como ministro do Trabalho em uma aeronave alugada pelo dono de uma empresa que tinha interesses em contratos com o ministério. O MPF diz que contratos foram assinados com a empresa após a viagem. Lupi foi denunciado e a Justiça aceitou a ação civil pública em 2015. Desde então, Lupi é réu junto com as demais partes do processo.
"A mim me surpreende. Na minha opinião, essas informações não estão assentadas. Porque informação que eu tenho é que ele não responde por nenhum procedimento. Réu ele não é, réu com certeza ele não é. Então, eu estou surpreendido neste momento. E eu me comprometo também a adicionar qualquer esclarecimento necessário no meu site”, declarou.

SPC
O candidato entregou um manual impresso no qual disse detalhar a proposta para "ajudar a tirar" do SPC os nomes de pessoas endividadas, proposta que vem apresentando durante a campanha eleitoral.
"Vou repetir aqui: Eu vou ajudar a tirar seu nome do SPC. Por quê? Porque eu estudei o assunto faz um ano com especialistas. A dívida média é de R$ 4 mil. Com o desconto que no leilão do Serasa já está acontecendo, essa dívida cai para R$ 1,2 mil. Se eu faço um refinanciamento tirando os juros de 500%, que eles hoje são humilhados, para 10%, 12%, o banco ganha dinheiro e eu refinancio isso em 36 vezes, a prestação cai a R$ 40,00 por mês. Eu vou tirar o nome do povo brasileiro do SPC mesmo", declarou.

Lava Jato
O candidato disse apoiar a Operação Lava Jato, mas apontou "abusos" do Ministério Público. Para Ciro Gomes, a Lava Jato é uma "virada de página na crônica de impunidade" no Brasil.
"Eu apoio a Lava Jato porque ela é uma virada de página na crônica de impunidade que sempre foi o prêmio para a corrupção dos grandões no Brasil", declarou.
Mas afirmou que governantes são acusados injustamente:
"Neste momento, há muitos abusos. Você não tem idéia do que têm sofrido os prefeitos municipais. Você não tem idéia da destruição de reputações que se faz depois sem nenhuma consequência", declarou.

Outros temas
Judiciário e MP: “O que eles estão fazendo? Eles estão exercendo a política na medida em que os dois poderes políticos estão desmoralizados. Só quero fazer o Brasil voltar a ter paz, segurança jurídica.”

Lula: "Para mim, o Lula não é um satanás como certos setores da imprensa e da opinião brasileira pensam. E também não é um Deus, um anjo, como certos setores metidos a religiosos do PT pensam. Eu conheço o Lula há 30 anos. Ele foi um presidente que eu tive a honra de servir como ministro e foi um presidente que fez muito coisa boa para muita gente do Brasil."

Vice Kátia Abreu – “Ela é uma pessoa que conhece a economia rural brasileira como poucos. Foi ministra da Agricultura, votou contra o impeachment, votou contra o golpe, votou contra a reforma trabalhista selvagem, que está destruindo as relações de trabalho no Brasil [...]. Estamos [eu e Kátia Abreu] de pleno acordo que nós nos completamos.”
(Portal G1)