quarta-feira, 25 de julho de 2018

Desinteresse da população é dificuldade de candidatos à disputar as eleições 2018, redes sociais farão a diferença esse ano

População caminha sobre "santinhos". Foto: Agência Brasil

Candidatos a deputado à disputar o pleito de 2018, no Ceará, sentem dificuldade em abordar eleitores. Um dos fatores, segundo eles, é a descrença na política da população, por canta dos escândalos de corrupção, além do tempo de campanha que diminuiu de 60 para 45 dias.
“Além da quantidade de pessoas indicadas na Lava a Jato, tem um fator extra importante que é o desemprego. Tudo isso vai desestimulando o eleitor que diz: ‘será que todo mundo entra na política para se fazer?’”. Disse o deputado federal Chico Lopes (PC do B) que também acrescentou que a disputa vai se tornar muito competitiva por conta do numero de candidatos e o tempo de campanha. “A minha leitura é que a eleição vai ter muita disputa e a eleição vai se tornar difícil.”
Já o deputado estadual Sérgio Aguiar (PDT) diz que o que mudará esse ano será a população está conectada nas redes sociais, e isso muda nas campanhas dos candidatos. “A mudança foi no sentido de que a rede social aproxima mais e ocorre uma interação, assim como a presença faz um diferencial na relação pessoal.”, diz.
André Figueiredo (PDT), que pretende disputar para deputado federal novamente, diz que o tempo de campanha prejudicará nas atividades dos candidatos que entram na disputa eleitoral. “Em anos anteriores, estávamos com uma campanha na rua, a partir do dia 5 de julho você já tinha o material de campanha. Agora é a primeira vez que temos uma campanha começando no dia 16 de agosto.”, diz.
Com informações do Diário do Nordeste