sábado, 2 de junho de 2018

Bomba em Santana do Cariri - Ministério Público deve investigar denúncia de desvio de dinheiro público em Santana do Cariri e pode pedir a prisão do prefeito e irmão


O prefeito em exercício de Santana do Cariri, Gildo Lopes e seu irmão, o empresário Pedro de Gerson podem ter a prisão provisória ou preventiva decretada pela Justiça a pedido do Ministério Público Eleitoral. É que na última quarta-feira (30), o MPE recebeu cópia da denúncia feita em praça pública pelo funcionário Francisco Leopoldino, o "Léo do Bar" no último dia 29.
Um dia antes, dia 28, por meio de gravação telefônica, Léo do Bar expôs um esquema criminoso de desvio de dinheiro dos cofres da Câmara Municipal de Santana do Cariri na gestão do atual prefeito Gildo Lopes, que deixou recentemente a presidência do legislativo para assumir temporariamente a Prefeitura de Santana do Cariri.
De acordo com o esquema apontado por Léo do Bar, a finalidade do desvio de recursos públicos era  beneficiar Gildo Lopes, Pedro de Gerson e vereadores amigos dos dois.
Na narrativa do funcionário o esquema inescrupuloso funcionava da seguinte forma:
O vereador que não indicava pessoas para ocuparem cargos na Câmara Municipal de Santana do Cariri, recebia pelo funcionário que não indicara, ou seja, o dinheiro era depositado na conta dos funcionários, que por sua vez, retiravam no banco e repassavam para o Pedro de Gerson e Gilson Lopes, que por sua vez, repassavam para o vereador.
Afirma ainda em seu depoimento gravado, que Pedro de Gerson, pai do candidato a prefeito de Santana do Cariri, Pedro Henrique, pagava funcionários da câmara, mas na verdade, eles trabalhavam de fato em uma fazenda do empresário, mas recebia pela câmara municipal.
O áudio e demais documentos já estão de posse do Ministério Público Estadual que tomará as medidas criminais cabíveis.
Caso as denúncias no depoimento do delator descritos em praça pública sejam comprovadas nas investigações do MP, será questão de dias os pedidos de prisão.