segunda-feira, 2 de abril de 2018

TSE avança estudos para combater fake news nas redes sociais

As avalanches de notícias falsas geram cada vez mais preocupação. A disseminação de mentiras e dados inverídicos impactam na vida política e até mesmo no cotidiano das famílias brasileiras. Frente a isso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a partir desta semana, deve avançar em suas investigações sobre o combate às fake news nas redes sociais.
O ministro Luiz Fux, presidente do TSE e que cobrou essas investigações, afirmou que quer evitar escândalos no Brasil similar aos que aconteceram nas eleições presidenciais americanas, em 2016.  O assunto ganhou destaque na pauta de debates do jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida no Bate Papo Político desta segunda-feira, 2, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 103.4 – Expresso Grande Fortaleza + 25 emissoras no Interior).
Vale lembrar que a Assembleia Legislativa do Ceará promove, nesta segunda, um seminário sobre o tema e sobre o uso consciente das redes sociais, principalmente em anos eleitorais, caso deste ano. O seminário está previsto para ocorrer a partir das 14 horas, no Auditório Murilo Aguiar, na Assembleia. Intitulado “Os desafios da comunicação frente ao fenômeno fake news e o uso consciente das mídias sociais”, o encontro contará com a presença de parlamentares da Casa Legislativa, como o deputado Zezinho Albuquerque (PDT), presidente da AL.
O Bate Papo Político de hoje ainda trouxe a informação de que a Câmara dos Deputados vota nesta segunda-feira, 2, um projeto que torna obrigatória os bloqueadores de celulares nos presídios. O projeto prevê a obrigatoriedade do Governo de instalar bloqueadores de telefonia em presídios com o dinheiro do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). Os recursos do fundo são usados, entre outras finalidades, para construir e manter o funcionamento das unidades prisionais.
De autoria do presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira, a proposta de instalação de bloqueadores de celulares em presídios foi aprovada no Senado no dia 7 de fevereiro, faltando ser votada na Câmara. Para o jornalista Beto Almeida, os bloqueadores de celulares já eram para estar em funcionamento nos presídios há muito tempo, para acabar, assim, com os “escritórios de organizações criminosas” dentro das penitenciárias.
Outro projeto que entra na pauta de votação na sessão dessa terça-feira, 3, cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp), cujo texto vem sendo negociado nas últimas semanas. De autoria do Poder Executivo, a proposta estabelece os princípios e as diretrizes dos órgãos de Segurança e prevê a proteção aos direitos humanos e fundamentais; a promoção da cidadania e da dignidade do cidadão; a resolução pacífica de conflitos; o uso proporcional da força; a eficiência na prevenção e repressão das infrações penais; a eficiência nas ações de prevenção e redução de desastres; e a participação comunitária.
(cearaagora)