quarta-feira, 4 de abril de 2018

Sérgio Machado tem bloqueados US$ 20 milhões em contas na Suíça


O Brasil obteve o bloqueio de US$ 20 milhões que o delator Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, mantinha na Suíça. Em reais, a cifra corresponde a cerca de R$ 66 milhões. O dinheiro, segundo reportagem do Jornal Folha de São Paulo, foi retido nessa  terça-feira.. Segundo apurou o blog do jornalista Josias de Souza, estava depositado em nome de Fides Trustees, empresa controlada por Machado e três filhos: Expedito Machado de Ponte Neto, Daniel Firmeza Machado e Sérgio Firmeza Machado.
A retenção dos recursos se deve a um pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O pedido foi deferido pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. O contato com as autoridades suíças, segundo a reportagem, foi feito pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, órgão que pende do organograma do Ministério da Justiça.
Ex-deputado federal, ex-senador , Sérgio Machado teve a delação homologada pelo Supremo em maio de 2016. O ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras, entregou antigos aliados e os padrinhos políticos que o colocaram no cargo e atingiu diretamente a  cúpula do PMDB. .
No acordo com o STF, Sérgio Machado se comprometeu a  devolver R$ 75 milhões. O dinheiro já voltou aos cofres da Transpetro. Os recursos que acabam de ser bloqueados, de acordo com a reportagem do Blog do Josias, da Folha de São Paulo, não têm nada a ver com essa cifra. Referem-se a uma novidade inserida nos processos de delação por Raquel Dodge: a reparação de danos causados pelos corruptos ao erário.
O bloqueio nas contas ligas a Sérgio Machado reflete outra estratégia de trabalho da chefe  da Procuradoria-Geral da República, Raquel Dodge, que, após o assumir o cargo em setembro de 2017, mostrava-se incomodada com um aspecto dos acordos de colaboração judicial, que era a punição por danos morais.
(das agências)