quarta-feira, 11 de abril de 2018

Alckmin perde foro privilegiado e Lava Jato em São Paulo pede para investigá-lo no estado


Bruno Boghossian – Folha de S.Paulo
A nova força-tarefa da Lava Jato em São Paulo começou a assustar o PSDB. Em apenas dois meses, a equipe de procuradores denunciou e prendeu um operador vinculado aos tucanos e, agora, busca conexões entre desvios no governo paulista e o financiamento de campanhas de Geraldo Alckmin.
O grupo do Ministério Público Federal apura se existem ligações entre o esquema de fraudes atribuído ao engenheiro Paulo Vieira de Souza(conhecido como Paulo Preto) e possíveis pagamentos ilegais para as eleições do tucano em 2010 e 2014.
Na segunda (9), os investigadores solicitaram à Procuradoria-Geral da República dados sobre repasses da Odebrecht às campanhas. O ofício pede “urgência, tendo em vista o andamento avançado de outras apurações correlatas”, em referência indireta às investigações sobre a atuação de Paulo Preto no governo.
A força-tarefa paulista da Lava Jato foi reforçada em 6 de fevereiro, passando de três para 11 procuradores. Dois dos novos integrantes haviam atuado com Rodrigo Janot em inquéritos contra políticos.