quinta-feira, 22 de março de 2018

Presidente do Banco do Nordeste reafirma aquecimento da economia

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, informou hoje que o Banco do Nordeste tem mais de R$ 18 bilhões em propostas para contratação de financiamentos em suas esteiras negociais e de análise de crédito. Para  ele, a demanda é um bom indicador do aquecimento da economia na Região.
A afirmação foi feita durante a abertura do seminário "O Futuro do Nordeste", organizado pelo Grupo Folha e realizado na sede do BNB, em Fortaleza. O evento teve por objetivo discutir as oportunidades e soluções para a economia nordestina.
"As contratações com as novas taxas de juros foram autorizadas há três semanas. Nossas esteiras negociais estão lotadas, desde o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf, até operações com grandes empresas", informou.
O presidente do Banco referiu-se às novas regras de cálculo de juros do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que levam agora em consideração o Coeficiente de Desigualdade Regional, divulgado pelo IBGE. Com a mudança, os juros dos financiamentos com a fonte FNE podem chegar a patamares de 37% a 68,5% mais baixos em relação às taxas praticadas no mercado.
Rolim ressaltou que o Banco do Nordeste deve aplicar R$ 42 bilhões até o fim do ano, sendo R$ 30 bilhões pelo FNE e mais R$ 12 bilhões por meio dos programas de microfinanças urbano (Crediamigo) e rural (Agroamigo).
"Estamos trabalhando para cumprir todo o orçamento, tanto do FNE quanto também dos nossos programas de microfinanças, e sentimos que o mercado vem reagindo", reforçou.
Infraestrutura
O seminário abordou os problemas e soluções do Nordeste em áreas como produção industrial, tecnologia, energia, infraestrutura logística e turismo.
 O superintendente de Políticas de Desenvolvimento do Banco do Nordeste, Henrique Jorge Tinoco de Aguiar, apresentou os financiamentos que o Banco dispõe para a infraestrutura regional no painel  "Entraves e soluções para a infraestrutura logística", ao lado da diretora de desenvolvimento comercial do Porto do Pecém, Rebeca Oliveira, e da secretária de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza, Maria Águeda Muniz.
 Tinoco enfatizou a possibilidade de o BNB financiar até 80% de projetos de infraestrutura, com taxas de juros diferenciadas em contratações voltadas para áreas de saneamento, água e logística.
 “Estamos atuando fortemente para sermos reconhecidos como o banco da infraestrutura do Nordeste”, disse.
 A expectativa é que o Banco do Nordeste aplique R$ 16 bilhões em projetos de infraestrutura somente em 2018.