segunda-feira, 12 de março de 2018

Presidente da Caixa diz que não descarta usar FGTS

Do G1
O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, disse, hoje, que não descarta usar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para capitalizar o banco.
No início deste ano, o presidente Michel Temer sancionou uma lei que autoriza a operação, desde que com autorização do Conselho Curador do FGTS. Pelo texto aprovado pelo Congresso Nacional, a Caixa poderia receber aporte de até R$ 15 bilhões.
A medida visava atender a novas regras de controle estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e que exigem que a Caixa aumente o nível de capital próprio para poder continuar emprestando recursos a clientes e financiando projetos. O objetivo era reduzir o risco de o banco não ter recursos suficientes para honrar compromissos futuros.
Entretanto, na mesma época, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler anunciou que a corte analisaria a legalidade do empréstimo que, segundo ele, "envolveria elevados riscos para o FGTS".
Pouco depois, o governo decidiu que descartaria a operação que, segundo o Blog do João Borges, sofria restrições dentro do Banco Central e da Secretaria do Tesouro Nacional.
No dia 23 de janeiro a Caixa informou, após reunião do seu Conselho de Administração, que cumpriria o planejamento para 2018 "sem a necessidade da emissão de instrumento de dívida junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)".