bnb

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Exportações nordestinas crescem 34,3% nos oito primeiros meses de 2017

Impulsionadas principalmente pela safra recorde de soja e pela venda de bens manufaturados como automóveis e derivados de petróleo, as exportações nordestinas totalizaram US$ 11,01 bilhões nos oito primeiros meses deste ano, um incremento de 34,3% em relação ao mesmo período de 2016.
O Estado da Bahia é o maior exportador (47,6%) e importador (35,9%) do Nordeste. Dos Estados da Região, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Alagoas e a Bahia registraram saldo positivo na balança comercial. A balança comercial nordestina, entretanto, continua acumulando déficit de US$ 1,9 bilhões, porém bem inferior ao computado no acumulado até agosto de 2016.
Segundo estudo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisa do Banco do Nordeste, a safra recorde de soja que ensejou receita de US$ 1,6 bilhão com o embarque de 4,4 milhões de toneladas, aumentou 96,6% no volume de vendas externas e 93,2% na quantidade embarcada. Principal item da pauta nordestina (15,1% da pauta), a soja, mesmo triturada, tem como principais exportadores os Estados da Bahia (48,4%), Maranhão (37,3%) e Piauí (13,6%).
As vendas de produtos manufaturados (com maior valor agregado) foram as mais representativas na pauta nordestina (45,2%) e apresentaram crescimento de 35,5% no período em análise. Os principais produtos exportados foram veículos e óleos combustíveis produzidos na Bahia e Pernambuco; e alumina calcinada oriunda do Maranhão.
A pesquisa é realizada pelo Etene, com base em dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Os dados estão disponíveis no endereço www.bnb.gov.br/diario-economico-2017.