BNB

quarta-feira, 21 de junho de 2017

No Crato, Camilo sanciona a lei que amplia de 60 para 80 mestres de cultura no Ceará

Secretário de Cultura Fabiano Piúba e governador Camilo Santana com mestre Aldenir (Foto: Flávio Pinto)

O Ceará conta agora com mais 20 Mestres da Cultura. Nesta terça-feira (20), o governador Camilo Santana sancionou, no Crato, a lei que amplia de 60 para 80 o número de mestres no Ceará. A ampliação, fruto de uma Mensagem enviada pelo governador e aprovada pela Assembleia Legislativa em maio, representa uma importante conquista da política cultural e da valorização da cultura popular tradicional.
"Desde criança, ainda no Crato, acompanho as tradições da cultura. A escolha do Crato para sancionar esse lei, não foi por acaso. Esse município é o berço da cultura do Cariri. E na véspera do aniversário de 253 anos do município, nos reunimos aqui para ampliar em quase 40% de aumento o número de mestres. Vamos agora lançar o edital para escolher os novos mestres e mestras que irão contribuir para formação cultural cearense", afirmou Camilo Santana.
Aos 83 anos, mestre Aldenir Aguiar foi o primeiro Mestre da Cultura reconhecido e, até hoje, mantém seu terreiro ativo para brincadeiras e festas na comunidade da Bela Vista, no Crato. "Fui reconhecido em 2004 e todos os meses recebo meu salário, mas me dói muito receber e ver que outros colegas mestres não tenham o mesmo benefício. Espero que agora alguns deles sejam também contemplados. É um reconhecimento à cultura que o Governo do Estado realiza", contou o  mestre.
Com pensamento de seguir a tradição familiar, aos 13 anos, as estudantes Hellen e Ana Pereira, seguem os passos do tio e mestre Aldenir. As duas fazem parte do grupo há três anos. "A dança, o ritmo e a alegria de participar das rodas é muito grande. Temos também o compromisso de não deixar essa tradição se acabar e repassar para outras crianças esses ensinamentos", explicou Ana Pereira.
Secretário da Cultura do Estado, Fabiano Santos Piúba ressaltou a importância do aumento do número de Mestres da Cultura reconhecidos pelo Estado. “Essa lei implica que possamos realizar, através de editais, a ampliação do número ainda este ano com 10 novos mestres e, em 2018, mais 10. Assim, estamos reconhecendo os saberes e fazeres tradicionais dos nossos mestres", ressaltou.
(Governo do Ceará)